Para Bruno, Libertadores 2017 ainda é possível para o São Paulo

Créditos da imagem: Rubens Chiri / saopaulofc.net

No dia seguinte após a eliminação para o Juventude na Copa do Brasil, o lateral titular na partida, Bruno concedeu entrevista ao repórter Eduardo Affonso da ESPN e disse que mesmo com a precoce saída do torneio, o time ainda pode brigar por uma vaga na Copa Libertadores de 2017.

LEIA MAIS: JUVENTUDE ENTRA PARA LISTA DE VEXAMES DO SÃO PAULO NA COPA DO BRASIL

“Fica um gosto amargo de que a gente poderia chegar a mais no campeonato (Copa do Brasil), mas acho que o que vale é o espírito da equipe que a gente tem que buscar a cada dia aprimorar para que a gente possa terminar esse ano com dignidade junto com o nosso torcedor apoiando para que a gente possa conseguir chegar lá na frente e brigar por classificação, por terminar um ano bem” – disse.

 

Bruno ainda disse sobre a irregularidade da equipe que vem atrapalhando o desempenho desde o começo da temporada e o que é preciso fazer para sair da situação.

“É um grupo qualificado apesar das dificuldades que a gente vem passando, a oscilação durante o ano. Se tratando de São Paulo, os jogadores tem sim que pensar em coisas grandes. Lógico que a gente ainda está ali atrás, correndo esse risco. A gente conversa bastante pra que isso não possa ocorrer mais. A gente precisa dessa regularidade até na partida. E a gente chegar e conseguir algumas vitórias tranquilas para que possa passar esse sufoco. Então é junto com o Ricardo(Gomes), tudo mundo conversar, aprimorar, para conseguir essa sequência de vitórias. Mas é partida por partida, pensando assim para que a gente possa sair dessa confusão e pensar grande” – lembrou.

Ele ainda disse sobre como lida com a disputa com o argentino Buffarini e a liderança nos passes para gols do time no ano. O camisa 2 executou sete passes para gols durante a temporada.

“Eu vejo uma possibilidade muito grande de estar contribuindo, apesar que eu tive a lesão. Eu estando bem, o Buffarini estando bem, a gente só tem que estar contribuindo para o melhor do São Paulo. Eu fui um cara que não desanimei em nenhum momento de estar no time reserva. Isso é bom para o elenco. A briga é sadia mas eu quero estar ali dentro dos 11 representando bem para que a gente sempre possa estar ajudando e muito feliz pelas assistências” – concluiu o defensor.



Estudante de jornalismo e atualmente setorista do São Paulo no Torcedores.com