Secretária defende fim de força-tarefa contra racismo na FIFA

fatma samoura fifa
Crédito da foto: Getty Images

A senegalesa, Fatma Samba Diouf Samoura, secretária-geral da FIFA, falou sobre o fim da força-tarefa, ou seja das campanhas da FIFA contra o racismo usando sua presença como prova do compromisso da entidade.

Leia mais:

FIFA CONSIDERA HOMOFÓBICO GRITO DA TORCIDA AO GOLEIRO E MULTA SELEÇÕES

FIFA ADMITE QUE FORAM PAGOS SUBORNOS NAS VOTAÇÕES PARA AS COPAS DE 98 E 2010

Em anúncio da FIFA durante Soccerex ela disse: “Minha presença aqui é uma demonstração de que a FIFA tem tolerância zero contra a discriminação. Não só a racial, mas qualquer uma, incluindo violações aos direitos humanos”.

O príncipe Ali Al Hussein, ex-vice-presidente da FIFA e candidato derrotado na última eleição da entidade, atacou duramente a decisão, que chamou de vergonhosa.

FIFA
Divulgação/Site Oficial da Fifa

“O anúncio de que a FIFA está desmantelando sua força-tarefa contra o racismo, considerando que seu trabalho foi feito, é incrivelmente preocupante. A luta contra o racismo está longe de terminar e a noção das lideranças atuais da FIFA de que ‘as recomendações da força-tarefa foram implementadas’ é vergonhosa”, disse Hussein por meio de um comunicado.

Samoura ainda disse que a missão da força-tarefa havia conquistado o espaço que a entidade queria: ‘A força-tarefa tinha um mandato muito específico que, para nós, foi bem cumprido”.

 



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."