Uma carta aos jogadores do Corinthians

Olá Senhores jogadores, eu sou Hugo Rodrigues, um dos mais de 30 milhões loucos do bando! Espero que esteja tudo bem com vocês, afinal, é semana de decisão. Antes, gostaria de em palavras, descrever a vocês, o que é o amor que sentimos pelo corinthians.

Guerreiros, nós sabemos que são profissionais, que do futebol, vocês tirão o sustento de suas famílias. Sabemos também, que “falar de fora” é fácil. Não estou aqui para julgar, somente preciso falar.

Sou de uma família, que desde os primordes, é vestida em preto e branco. Na minha casa, nós fomos “educados” a ser corinthians, a viver Corinthians.

La em 1900 e “guaraná com rolha”, meu bisavô, tinha sua rotina em dia de jogos, já horas antes das partidas, lá estava ele, de cócoras, com seu radinho a pilha no ouvido, com meu tio em seu coloco, e lá ele ficava, por horas, numa mesma posição, xingando no “tenico” como ele dizia, ou reclamando pelo juiz não ter dado aquele “corner” a nosso favor, do jeito dele, mas em todos os jogos ele estava lá, a mesma hora, no mesmo lugar, do mesmo jeito e com as mesmas manias.

Um dia ele se foi, dentre as milhares de heranças sentimentais e ensinamentos que ele deixou, uma delas foi um coração preto e branco, essas, as cores da nossa família. Aí meu avô mostrou aos meus tios, meus tios e meus pais mostraram pra mim. Nunca digo que me ensinaram ser Corinthiano, pois isso não se aprende, para isso, você tem que nascer com a alma de uma nação de 2 cores.

Foto: Bruno Teixeira

Por fim, assim como a minha, existem mais milhões de famílias de alma preta e branca. Como disse Osmar de Oliveira, somos corinthians de Alma e não de coração, pois o coração um dia para, já a alma é para sempre.

Nos vivemos por esse clube, nós vivemos por essa torcida, e enquanto vocês vestirem o manto, nos viveremos por vocês. De vocês, só queremos entrega, o coração, em preto e branco, na ponta da chuteira. Ao Corinthians, sempre a nossa vida, ao Corinthians, sempre a nossa alma.

Um abraço e boa sorte.