Análise: Corinthians mostra organização tática com Carille, mas esbarra em suas limitações técnicas

Atlético-MG x Corinthians
Foto: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Fábio Carille está apenas no início do seu trabalho como técnico do Corinthians. Comandou o time em cinco jogos, três deles pelo Brasileirão, porém, já dá para fazer algumas análises mais profundas.

LEIA MAIS:
Foi falta? Jogadores do Corinthians reclamam de gol anulado de Gustavo
Corinthians 0 x 0 Atlético-MG: assista aos melhores momentos  

Com exceção à derrota para o Botafogo (2 a 0), no último domingo, pelo Brasileirão, deu para perceber uma melhor organização tática do time, lembrando um pouco os tempos de Tite. Talvez esteja aí o grande mérito do ex-auxiliar, que mantem o esquema 4-1-4-1, com um volante à frente dos zagueiros, um linha de quatro meio-campistas e um atacante centralizado.

No empate sem gols contra o Atlético-MG, na última quarta-feira, em Itaquera, o Corinthians, dentro de suas limitações, fez um bom jogo contra um dos candidatos ao título brasileiro. Dominou o adversário na maior parte dos 90 minutos. O resultado acabou sendo injusto já que houve interferência da arbitragem. O atacante Gustavo teve gol mal anulado aos 23 minutos do primeiro tempo. Não houve falta do atacante no zagueiro Gabriel.

O sistema defensivo se comportou bem. Os laterais Léo Príncipe e Guilherme Arana subiram ao ataque com frequência sem se descuidar da marcação. Yago, Balbuena e Pedro Henrique (que substituiu o primeiro ainda na etapa inicial) foram bem.

Um dos problemas está no meio-campo. Falta criatividade. Rodriguinho até se esforça, se movimenta bastante pelo campo, porém, não é um grande armador de jogadas. Nas pontas, Marlone e Marquinhos Gabriel oscilam demais e não produzem nada que arranque suspiros da torcida. No entanto, o grande problema está no ataque. É incrível a dificuldade que a equipe tem em balançar as redes. Nos três jogos sob o comando de Carille no Brasileirão, o ataque passou em branco.

De acordo com o Footstats, contra o Galo, o Timão finalizou 19 vezes, mais do que o dobro em relação ao adversário, porém,16 chutes foram errados. O centroavante Gustavo se esforçou, fez a sua melhor partida com a camisa corintiana, teve o gol mal anulado, mas ainda não desencantou. É evidente a sua limitação técnica. Muito pouco para as tradições alvinegras.

O Corinthians chegou ao sexto jogo seguido sem vitória no Brasileirão, caiu para a oitava colocação e ficou três pontos atrás do Atlético-PR, sexto colocado. A vaga na Copa Libertadores 2017 ficou mais longe. Com um elenco limitado, dificilmente o Timão vai colher frutos em dezembro. Nem Guardiola faria milagre com poucas peças à disposição.

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)