Fora do time titular, Balbuena demonstra apoio à decisão de Oswaldo

Viviane Tavares/Torcedores.com

A zaga do Corinthians é um dos setores mais instáveis da equipe devido contusões e suspensão dos jogadores. Na manhã desta quarta-feira (26), o zagueiro Balbuena deu entrevista coletiva após o treino no Centro de Treinamento Dr Joaquim Grava, e falou sobre perder a titularidade na equipe, já que Oswaldo de Oliveira esboçou um novo time com Vilson e Pedro Henrique na defesa.

LEIA MAIS: NO PRÓXIMO SÁBADO, CORINTHIANS JÁ CUMPRE PUNIÇÃO IMPOSTA PELO STJD; CONFIRA AS MUDANÇAS
CORINTHIANS ESTUDA CONTRATAÇÃO DE ATACANTE CARRASCO DO SÃO PAULO NA COPA DO BRASIL

Um dia após ser convocado pela seleção do Paraguai para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, Balbuena minimizou a saída “temporária” da equipe alvinegra, alegando que todos tem um objetivo em comum, cabe aos outros atletas apoiar quem o treinador escolher no momento.

“A gente sabe que o treinador que faz as definições sobre quem vai jogar. Pedro e Vilson e até o Léo Santos estão aptos, ele pode escolher qualquer um que o time vai da mesma forma. Quando não jogamos, temos de apoiar também, temos um objetivo em comum”. Explicou o paraguaio.

Questionado sobre ficar surpresa com as mudanças na defesa, o zagueiro garantiu que não ficou e alegou que todos devem estar preparados.

“A gente sabe que aqui não tem titular absoluto, amanhã posso estar de volta ao titular, futebol é assim, temos de estar preparados. Ninguém é dono do posto. As camisas têm número, não nome, como a gente diz. Não posso ficar surpreso. Não vou perguntar o porquê de virar reserva. Oswaldo não falou o motivo, só disse que todos podem jogar: Pedro, Vilson e Léo Santos. Isso não vai mudar nossa atitude”

A zaga corinthiana tem a pior média desde o Brasileirão 2012, quando a equipe se preparava para o Mundial de Clubes, no Japão, abrindo mão da competição nacional. Até o momento, a defesa sofreu 33 gols em 32 jogos. Para Balbuena, a troca constante de jogadores na defesa não atrapalha o desempenho.

“Não atrapalha, é só um dado. Quando éramos a melhor defesa, também falavam das alterações na zaga. Não tem sentido. Quando não temos a bola, todos são defensores. Quando tem gol, a culpa é da defesa né? Mas é normal, aceitamos as críticas, sabemos como são os torcedores e as pessoas que não sabem ler futebol. Temos cometidos erros que custam caro”.

No G-6, a próxima missão do Corinthians é no próximo sábado (29), contra a Chapecoense na Arena Corinthians. O Timão segue em busca da vaga na Libertadores de 2017.