Comitê Olímpico quer alterações no combate ao doping

Foto/Divulgação

Neste sábado (8), foi realizado um congresso em Lausanne (Suíça) no qual dirigentes de diversas entidades esportivas, como o Comitê Olímpico Internacional (COI), a Federação Internacional de Futebol (Fifa) e presidentes de vários comitês olímpicos nacionais discutiram o combate ao doping no esporte. E algumas mudanças estão sendo planejadas para aumentar ainda mais a caça ao uso de substâncias ilegais para melhoria da performance.

LEIA MAIS

APÓS COTOVELADA, BOLIVIANO CRITICA NEYMAR: “PRECISA DEIXAR DE SER ARROGANTE E RESPEITAR OS RIVAIS”

LIBERTADORES 2018 IRÁ EXCLUIR TIME POR DOIS MOTIVOS PREOCUPANTES PARA OS BRASILEIROS

JUSTIÇA ACEITA DENÚNCIA CONTRA COMENTARISTA DO SPORTV E PRESIDENTE DA CBT

Segundo o Uol Esporte, o COI planeja alterar o processo dos exames antidoping e quer que a Agência Mundial Antidopagem (Wada) seja a encarregada de planejar um processo para a realização dos testes que não dependa da estrutura das organizações esportivas, com uma espécie de  ‘autoridade especial’ para regular o assunto.

Outra mudança defendida na reunião é a de que a responsabilidade pelo julgamento de casos de doping passe a ser integralmente do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), que antes somente julgava recursos de atletas suspensos. Atualmente, são as federações desportivas que são as responsáveis pela divulgação das penas.

O encontro de hoje é mais uma maneira de fortalecer o combate global antidoping. As recomendações que colocamos hoje serão consideradas ao lado de outras que recebemos de nossos parceiros em tópicos chave como governança, modelo financeiro, consequências para quebra de regras, testes e investigação“, disse ao site oficial da Wada o presidente da Agência, Craig Reedie.

O COI fará uma reunião em dezembro com sua diretoria executiva, na qual as recomendações discutidas na reunião devem ser aprovadas pela entidade e implementadas em seguida.

 

(Crédito da foto: Foto/Divulgação)