Corinthians e seu elenco em 2016

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

A equipe profissional do Corinthians sofreu várias mudanças durante esse ano de 2016. Foram diversas saídas de jogadores importantes na temporada 2015, que acabaram sendo negociados, ao longo das janelas de transferência em 2016. E o que aconteceu depois disso?

Pois bem,  após as saídas de muitos e a chegada de poucos. As trocas no comando técnico (saídas de Tite e Cristovão Borges e com o interino Fábio Carille) o time titular segue aberto a mudanças e adaptações, para encontrar um ponto de equilíbrio, tentar melhorar o desempenho e subir na tabela.

Vamos analisar cada setor da equipe. A nossa análise começa pela meta corintiana. No gol, pelas atuações, podemos dizer que não temos problemas. Cássio e Walter tem feito belas atuações e quando exigidos, fazem excelentes defesas. O primeiro arqueiro teve sua atuação questionada em alguns jogos, porém tem muita experiência na meta corintiana. O segundo é firme em suas atuações. E ainda temos na suplência Matheus Vidotto e Caíque França, que quando jogaram, atuaram muito bem.

Seguindo na defesa, observamos agora os laterais. Temos como “titulares”, Fágner pela direita e Uendel pela esquerda, e na suplência, Léo Príncipe e Guilherme Arana respectivamente.  Uendel vem de um período de inatividade por lesão. Já Fágner é o destaque do time, sendo premiado com convocações para a Seleção Brasileira. E no caso de Príncipe e Arana, quando jogaram, não atrapalharam o time. E como são jovens, tem a oportunidade de crescer, amadurecer e se destacar na equipe principal.

Na zaga, os titulares são Balbuena e Yago. Ambos já tiveram dias de boas atuações. Mas, recentemente tem tido algumas falhas que tem determinado tropeços da equipe. Vilson e Pedro Henrique são os suplentes. O primeiro já teve seus dias de titular, mas as lesões tiraram sua oportunidade de se manter na equipe. Assim como Pedro Henrique, que falhou no jogo contra o Atlético – MG. Superou a situação e jogava bem, até que uma lesão muscular, o tirou de combate.

No meio-campo temos os jogadores defensivos e ofensivos. Vamos falar primeiramente dos defensivos: Camacho, Cristian, Jean, Marciel e Willians.  No primeiro semestre, a dupla de volantes do time era composta, na maioria dos casos com Bruno Henrique e Elias. Com as saídas destes jogadores, várias possibilidades foram testadas. A última experiência foi Camacho, jogador contratado junto ao Audax após o Paulistão. E só agora que o atleta vem conseguindo seu espaço e sequência de jogos. Cristian teve oportunidades com Tite e Cristovão. Porém, as lesões atrapalharam. Desde seu retorno da Turquia, nunca teve uma regularidade, como na sua primeira passagem pelo Timão. Marciel retornou recentemente de empréstimo em transação feita com o Cruzeiro, que envolveu a troca com o também volante Willians. Ambos não tiveram muito destaque nos clubes. E Jean, foi contratado recentemente junto ao Paraná, mas ainda não fez sua estréia com a camisa alvinegra. Já no setor ofensivo temos: Rodriguinho, Marquinhos Gabriel, Marlone, Gilherme, Giovanni Augusto e Danilo. O primeiro vem tendo um salto de evolução durante a temporada, motivada principalmente pela aproximação a área adversária. Marquinhos Gabriel foi um dos maiores investimentos feitos pelo clube na temporada. E até o momento não justificou tal ação.  Muito irregular e perde muito a bola. Já Marlone, vem buscando seu espaço. Não teve muitas oportunidades no começo do ano. Agora com sequência de jogos, podemos analisar melhor seu desempenho, que ainda vem sendo irregular. O meio-campista Guilherme estava ganhando ritmo quando se lesionou. Não fez belas exibições, mas pode ser um bom reforço quando retornar a equipe. Giovanni Augusto luta, briga, tem raça, mas também ainda não alcançou uma regularidade, devido a pequenas lesões durante a temporada. E Danilo, com 37 anos, é o mestre dessa turma. O jogador teve uma fratura, e só retorna aos gramados em 2017.

Agora vamos falar sobre o ataque alvinegro que é composto por: Bruno Paulo, Gustavo, Isaac, Lucca, Rildo e Romero. O primeiro foi contratado junto ao Audax após o Paulistão, e já estava lesionado. Após recuperação, fez nova cirurgia e por enquanto ainda não fez sua estréia. Já Gustavo, foi contratado para suprir a saída de André. O Jogador foi contratado junto ao Criciúma, com status de artilheiro da Série B. Até o momento, não conseguiu mostrar seu futebol, mas vamos aguardar novas exibições. Isaac ainda não teve nenhuma oportunidade, veio do time de base. Lucca é remanescente do time campeão de 2015. Mas nessa temporada, não tem conseguido repetir as atuações do passado. Rildo tem tido uma estreita relação com o departamento médico. Teve diversos tipos de lesão. Agora que tem conseguido ser relacionado para jogos. E por último temos Angel Romero, que é muito questionado. O que falta em técnica, tem em raça e determinação. Tem feito alguns gols, e é o artilheiro da equipe na temporada.

Arte: Alysson Rodrigues
Arte: Alysson Rodrigues

Ao analisar a atuação dos atletas, podemos verificar que o time não teve um padrão estabelecido nessa temporada. Muito em virtude das saídas de jogadores e das lesões de atletas. A troca de comando técnico também contribuiu para o atual cenário do time. Porém, vejo que a diretoria errou no planejamento de 2016. Pois era sabido, que em virtude da bela campanha do ano anterior, os clubes estrangeiros viriam com ofertas para os atletas que mais de destacaram. O departamento de futebol deveria ter pensado em peças de reposição. Com as saídas, o elenco foi se enfraquecendo. Sem peças, como o técnico pode trabalhar e gerar resultados? Algo a se pensar para o próximo ano. Mas, que pelas atitudes que vemos da diretoria, os problemas não vão ser corrigidos a tempo. A próxima temporada também não vai ser nada fácil.