Edu Ferreira desabafa: “Fui traído. Ajudei Roberto a segurar o rojão”

edu ferreira
Foto: Daniel Augusto Junior/Agência Corinthians

Edu Ferreira, ex-diretor técnico do Corinthians que renunciou pouco antes do anúncio de Oswaldo Oliveira como novo técnico do Timão, deu uma entrevista ao Blog do Alfinete na ESPN em que esclareceu muito dos bastidores do clube.

Leia mais:

“NÃO ERRAMOS NO PLANEJAMENTO”, DIZ DIRETOR-ADJUNTO DO CORINTHIANS

DIRETOR DO CORINTHIANS BANCA CRISTÓVÃO BORGES E NEGA CONTATO COM ROGER

Edu Ferreira contou mais sobre ele, sobre como sofreu por ser um integrante dos Gaviões dentro do time e contou que não recebia pelo cargo.

“Hoje eu tenho 36 anos de idade e sou corintiano desde que nasci, inclusive meu avô chegou a ser conselheiro do clube na época do Matheus. Em 1992, meu pai me levou ao Parque São Jorge e me tornei sócio do Corinthians e, no ano seguinte, da Gaviões da Fiel. Sempre frequentei o clube, fui conhecendo muitas pessoas, inclusive da ala política. Minha primeira participação em reuniões no Corinthians aconteceu quando eu tinha apenas 17 anos, por convite da Marlene Matheus. Foi assim que minha história no Corinthians começou. Uma pessoa para se tornar diretor do clube, seja social ou de futebol, tem que ser corintiana, todos são torcedores. Seja o sujeito de arquibancada, numerada, pay per view ou radinho, mas corintiano ele tem que ser”.

 

Corinthians edu ferreira
Foto: Reprodução

Ele também contou sobre como foi a transição de ‘apenas’ torcedor para um integrante da comissão técnica:

Durante muito tempo estive presente na Gaviões da Fiel, inclusive ajudando a organizar o carnaval. Esses anos por lá me fizeram aprender muito de Corinthians e de torcida. Com relação a essa transição, comecei a me envolver durante a gestão do Andrés, mas foi na época do Mário Gobbi que ocupei um cargo na ouvidoria. Já como diretor de futebol, passei a me dedicar quase todo meu tempo ao cargo. Essa função exige participação e presença diária, além de estar à disposição o tempo todo da comissão técnica, funcionários e jogadores. Tenho certeza que fiz um grande trabalho por lá, a conquista do Brasileirão de 2015 e as superações com problemas financeiros são a prova disso.

Edu Ferreira falou qual foi o motivo pela qual renunciou, afirmou que não era nada contra o Oswaldo, mas por ter se sentido traído por não ter sido comunicado:

“Olha, primeiramente gostaria de dizer que não tenho nada contra o Oswaldo, inclusive falei isso pra ele. Deixei claro que minha saída não tinha nada a ver com a pessoa dele. Sou um homem de caráter e personalidade. Como em nenhum momento fui consultado sobre a chegada de um novo treinador, achei melhor renunciar. Fiquei sabendo da movimentação através da imprensa e algumas outras pessoas, mas nada através do presidente. (se sentiu traído) Sim, muito. Fiz muito pelo Roberto, gosto muito dele e o ajudei a “segurar o rojão” nesse ano difícil. O Roberto é uma pessoa muito boa, mas fiquei triste e tive que me posicionar.”



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."