Em entrevista, Sharapova fala sobre redução de pena por doping

Reprodução / YouTube

Após ter sua pena por ter sido pega em exame antidoping reduzida de dois anos para quinze meses, a russa Maria Sharapova comentou sobre o caso em entrevista ao jornal The New York Times, criticando o modo como a Federação Internacional de Tênis procedeu sobre o caso.

LEIA MAIS

PALMEIRAS: VEJA AONDE AQUIRIR SEU INGRESSO PARA O JOGO CONTRA O CRUZEIRO EM ARARAQUARA

PODE ISSO? FILHO DE POLÍTICO RUSSO LUTA MMA (E VENCE!) COM APENAS 11 ANOS

Deixei todos falarem sobre mim até agora, permiti a todos me julgarem e falaram o que quiserem. É assim que o mundo é, mas no fim das contas, tudo acabou. E quando tudo acabasse, seria eu quem teria razão“, declarou a tenista.

A tenista foi pega com Meldonium em um jogo do último Aberto da Austrália. Usado para casos de problemas cardíacos, a substância foi colocada na lista de proibidas pela Agência Mundial Antidopagem (Wada) em janeiro, no qual Sharapova alegou não ter tido conhecimento do fato no momento em que seu teste foi positivo.

A ITF nem mesmo nos informou direito sobre isso. É como em uma estrada e eles não colocam uma placar para indicar a direção e nem mesmo a deixaram ‘entre as árvores’. Na verdade, foi como se eles fizessem uma placa improvisada e colassem em cima de uma árvore. Se tivesse alguma coisa, eu diria ‘tudo bem’, mas durante todo o processo não houve sinal algum. E se a Corte Arbitral do Esporte (CAS) deixou evidente é que essa comunicação (da proibição da substância) não estava explícita“, comentou.

O responsável pelo doping da Federação Internacional, Stuart Miller, também recebeu críticas da tenista, que insinuou que o dirigente seria ‘despreparado’ para ocargo.

Eles queriam me suspender por quatro anos, era desse jeito que a ITF queria admitir que errou. Passei quatro dias em audiências ouvindo Miller, que é o chefe do controle antidoping. Ele falou coisas que me fizeram sacudir a cabeça negativamente. Fiquei pensando como uma pessoa dessas poderia ter nas mãos o destino de tantos atletas. Fiquei chocada em saber o quão pouco ele sabia do assunto. Quando ele falou sobre o Meldonium, ele não sabia nada. Nem ele sabia que o uso era comum entre atletas do Leste Europeu que acredito que ele deveria ter mais cuidado ao falar disso”.

A ITF preferiu não se pronunciar sobre o caso. Sharapova conseguiu a redução de sua suspensão no CAS por provar que não tinha usado o remédio para fins de melhoria de desempenho.

(Crédito da foto: Reprodução / YouTube)