Mano Menezes vê evolução mas pede cautela no Cruzeiro após vitória

Agenda da semana
Crédito da imagem: © Yuri Edmundo/Light Press/Cruzeiro

Com gols de Ábila e Robinho, o Cruzeiro de Mano Menezes venceu a Ponte Preta por 2 a 0 no Brasileirão e saiu da zona de rebaixamento.

LEIA MAIS:
Fora da zona do rebaixamento, Cruzeiro projeta jogo contra o Palmeiras
Cruzeiro x Ponte Preta: assista aos gols da partida
Veja como fica a classificação do Cruzeiro na Série A do Brasileirão

“O time iniciou o jogo já sabendo o que queria fazer da partida, teve calma, errou pouco. Contra o Grêmio o time se acertou e dali pra frente vem jogando com segurança”, declarou Mano Menezes.

No final do jogo, a torcida se empolgou e houve gritos de “olé” no Mineirão. “Esse ‘olé’ apareceu pela primeira vez em Cariacica e o resultado não foi bom [derrota de virada para o Flamengo]. A gente aprende com as coisas que acontecem. É gostoso ver o time tocar, mas deixa o adversário queto. O torcedor tem todo direito de fazer, ele veio em um sábado à noite, um horário completamente fora do futebol e tem todo direito de comemorar e estar feliz como a gente. Agora precisamos fazer a nossa parte e continuar evoluindo”, acrescentou o técnico.

Mano Menezes valorizou a postura do trio ofensivo no primeiro gol. “A bola sobrou para o Ábila porque fizemos uma jogada com um extremo (Sóbis) e o outro estava dentro da área junto com ele. Apesar de baixinho, o Rafinha puxou a marcação na frente e por isso a bola sobrou para fazermos o gol. Era importante fazer isso dos dois lados. Quando o Rafinha fez a jogada pela esquerda o Sóbis estava junto com o Ábila para não deixá-lo sozinho – até porque é mais fácil dois zagueiros marcarem um só atacante”, analisou.

“Quando vem jogar aqui no Mineirão, tudo o que os adversários querem é que a gente se precipite e enfrente a muralha do meio de campo, como o Grêmio mostrou e a Ponte Preta também tinha, e conceda contra ataque a todo momento. Acertamos alguns ajustes e o Cruzeiro foi mais maduro ainda do que no jogo anterior. O Lucas Romero fez a saída de bola pelo lado no primeiro tempo, mas nos faltou um jogador para se juntar ao Robinho e dificultar a marcação deles que tinha três jogadores por dentro e só o Robinho armando, aí criamos pouco. No segundo tempo melhoramos posicionamento do meio de campo, adiantamos um pouco mais o Lucas Romero e centralizamos o Henrique para fazer a saída de bola. O time teve mais mecânica, criou mais e poderia até ter ampliado”, finalizou Mano Menezes.