Marcelo Oliveira vê tratamento desigual e reclama: “Poderíamos ter entrado com uma equipe mais forte”

Crédito da foto: Bruno Cantini/CAM

Dez. Este foi o número de desfalques do Atlético Mineiro para a partida contra o Corinthians. Após o empate por 0x0, em Itaquera, o técnico do Galo, Marcelo Oliveira, não poupou nas críticas a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pelo fato da partida de ontem não ter sido adiada, após o clube ter feito um pedido a instituição.

LEIA MAIS:

HYURI LAMENTA CHANCE PERDIDA E COMENTA: “TOMEI A DECISÃO ERRADA”; REVEJA O LANCE

ATLÉTICO MINEIRO E CORINTHIANS NÃO SAEM DO ZERO EM ITAQUERA

“Poderia sim (ter sido outra história contra o Corinthians), se eu tivesse os cinco jogadores convocados. Poderíamos ter entrado com uma equipe mais forte, que está mais acostumada a jogar e teríamos um banco com mais opções também. Lamento que o tratamento não seja igual para todos. Não conseguimos mudar a data do jogo e fez diferença para um time que tem cinco jogadores convocados e outros cinco com contusões. Isso deveria ser sacramentado antes de começar a temporada (a data Fifa). Aqui se jogam três jogos em sete dias. Viagens demoradas, esperas em aeroportos… Por isso não dá para ter jogos regulares” reclamou Marcelo Oliveira.

Os jogadores que o técnico atleticano não pode contar foram: Rafael Carioca (seleção brasileira), Erazo e Cazares (seleção equatoriana), Pratto (seleção argentina) e Otero (seleção venezuelana), mais Marcos Rocha, Luan, Maicosuel e Carlos machucados e ainda Júnior Urso, suspenso.

Muitas vezes ‘atrapalhado’ na briga do título do Brasileirão contra Palmeiras e Flamengo, líder e vice-líder no momento, o técnico do Galo falou que daqui a um tempo os clubes não mais irão contratar possíveis contratados.

“Tem que ver se há o interesse para resolver esses problemas. Alguns estados estão com pré-temporadas curtas, já se começa a jogar o Estadual no começo do ano, aí machuca em uma jogada. O jogador deveria esquecer futebol nas férias. A cada jogo cai um, dois jogadores com contusões. Vai chegar a um ponto que aqueles jogadores que têm tendência de ser chamados para a Seleção não vão ser contratados, porque isso implica em investir alto em reforços que vão ficar talvez fora em jogos decisivos” completou Marcelo Oliveira.



Estudante do 9º semestre de jornalismo e amante dos esportes, principalmente o bom e velho futebol. Setorista de Atlético-MG e Futebol Feminino.