New York Knicks: Um super-time, ou mais um “Titaknicks”?

Foto/Reprodução: Instagram @nyknicks

A última temporada começou com vaias da torcida de Nova York, isso antes da bola laranja subir. No dia 25/06/15, no Barclays Center, em Brooklyn, o Knicks selecionou o ala-pivô Kristaps Porzingis. Os torcedores presentes não ficaram nem um pouco satisfeito com a escolha, já pensando no armador Emmanuel Mudiay. Mas com poucos jogos, o letão ganhou a torcida, e se tornou um dos jogadores mais importantes da equipe. Com 14.3 pontos, 7.3 rebotes e 1.9 tocos de média em menos de 30 minutos por jogo, Porzingis foi selecionado para o time de calouros da temporada, além de disputar com Karl-Anthony Towns pelo prêmio de calouro do ano.

LEIA MAIS: ORLANDO MAGIC: HÁ VIDA SEM OLADIPO?
MINNESOTA TIMBERWOLVES: TOWNS SENTINDO ESSE CHEIRINHO?

 

Entretanto, a temporada não foi boa, e o time ficou apenas em 13º no Leste, e 24º no geral. Para a próxima temporada, o Knicks foi bastante ativo na free agency, e trouxe reforços como Brandon Jennings, Courtney Lee, Joakim Noah e, o reforço mais esperado, Derrick Rose. Para chegada de Rose, Robin Lopez, Jose Calderon e Jerian Grant foram negociados. A troca é arriscada, conhecendo o histórico de lesões do armador, mas caso ele se mantenha saudável por toda temporada, e volte ao bom basquete do seu ano de MVP, essa pode ser uma das melhores trocas da NBA em anos. Em sua última temporada em Chicago, Rose teve 16.4 pontos e 4.7 assistências por jogo, números fracos para o padrão Derrick Rose. Seu reserva, Jennings também fez uma temporada muito aquém do esperado, devido à uma lesão grave. Antes de se machucar, tinha números de 15 pontos e 7 assistências por jogo, já na última temporada, viu seus números despencarem para 6.9 pontos e 3.5 assistências. Jogando em alto nível, Jennings será um excelente reserva, sendo provavelmente o 6º homem do time. Noah é outro jogador que merece destaque. Jogando pelos Bulls, Noah já foi 4º lugar na corrida pelo MVP, em 13-14. No ano seguinte, com uma lesão grave, viu seus números cairem também. De 12 pontos e 11 rebotes por jogo, Noah caiu para 4 pontos e 9 rebotes. É outro que, caso volte ao seu nível habitual, agregará muito para esse time. O provável quinteto titular será: Derrick Rose, Courtney Lee, Carmelo Anthony, Kristaps Porzingis e Joakim Noah.

Big 3?
Além de Rose, o Knicks ainda possui Porzingis e Carmelo Anthony. Caso os três se entendam em quadra, e o joelho de Rose aguentar, eles farão um trio interessante. O maior problema dos Knicks em anos era a armação, com Carmelo tendo a bola em mãos por muito tempo, ocasionando inúmeros arremessos desperdiçados. Com Rose, Carmelo receberá menos a bola do que o habitual, mas não terá obrigação nenhuma de armar jogo. Resta saber se ele vai concordar com isso, já que Carmelo é conhecido por ser “fominha”.

Departamento Médico
O time dos Knicks possui jogadores de alto nível, como os já citados Carmelo, Porzingis, Jennings, Rose, e mais. Entretanto, ao menos três desses jogadores passaram recentemente pelo departamento médico, e outros são frequentadores assíduos. Jennings e Noah não tem um histórico tão famoso como o do Rose, mas eles ficaram um bom tempo parado na última temporada, então é preciso cautela. Caso o time perca os três de uma vez só, as coisas ficarão bem complicadas.

Pressão
Já vimos muitos “super-times” serem montados e não darem resultado. Exemplos recentes nos levam ao Los Angeles Lakers de Nash, Kobe, World-Peace, Gasol e Howard, e ao Brooklyn Nets de Derron Willians, Joe Johson, Paul Pierce, Kevin Garnett e Brook Lopez. Outros deram certo, como o Boston Celtics de Ray Allen, Pierce e Garnett, o Miami Heat de Wade, LeBron e Bosh, e o Cleveland Cavaliers de Irving, LeBron e Love. Todos esses times tinham em comum os holofotes da mídia, coisa que esse Knicks também tem. Resta saber se os jogadores saberão jogar com a pressão de um super-time nas costas.

A expectativa para 16-17 dos Knicks é um modesto 12º no Leste, e 22º no geral. Tudo bem que o time é uma bomba-relógio, e que de uma vez só pode se ver sem vários jogadores importantes, mas me parece que estão botando pouca expectativa nesse time. Se esse time se acertar de cara, é possível pensar em uma briga pelo 4º lugar na conferência, já que Cleveland, Toronto e Boston estão em um patamar acima na minha opinião. Eu vejo esse time no mesmo nível de Indiana e Detroit, que devem fazer a briga pela 4ª vaga. Se nada der muito errado, os Knicks devem ficar entre 6º e 4º.