Opinião: 5 razões para a vitória do Grêmio sobre o Cruzeiro

Grêmio x Cruzeiro
Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Com gols de Luan e Douglas, o Grêmio bateu o Cruzeiro (2 a 0) na noite de quarta-feira, no Mineirão, e saiu em vantagem na busca por vaga na decisão na Copa do Brasil. Com o resultado, o Tricolor pode até perder por um gol de diferença na quarta que vem, na Arena, que mesmo assim se classifica para a grande decisão.

LEIA MAIS:
Jogadores do Grêmio comemoram vantagem contra o Cruzeiro, mas pregam cautela 
Cruzeiro 0 x 2 Grêmio: assista os gols da semi da Copa do Brasil 

A vitória começou a ser construída aos 19 minutos do primeiro tempo, com um golaço de Luan após linda tabela envolvendo Pedro Rocha e Marcelo Oliveira. Aos 16 minutos do segundo tempo, após contragolpe, o meia Douglas fechou o placar.

Veja as cinco razões para a vitória gremista em Belo Horizonte:

Luan – O atacante estava devendo bom futebol, mas fez em Belo Horizonte a sua melhor exibição desde o retorno da seleção brasileira medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos. O camisa 7 fez um ótimo primeiro tempo, chamando a responsabilidade e aparecendo por todos os setores do campo. Coroou a exibição com um golaço, quebrando um jejum de 14 jogos sem marcar, o maior da carreira.

Douglas – Já havia sido fundamental para a classificação à semifinal ao dar o passe para Everton marcar o gol de empate contra o Palmeiras, no Allianz Parque. Contra o Cruzeiro, balançou as redes e foi o maestro do time, quase sempre com bons passes aos companheiros.

Ramiro – Talvez, o volante seja o atleta que mais cresceu sob o comando de Renato Gaúcho. Contra a Raposa, fez bons desarmes e apareceu várias vezes como elemento surpresa no ataque. Arriscou bons chutes e fez o papel de garçom para Douglas fechar o placar.

Marcação sob pressão: Desde o início da partida, o Grêmio surpreendeu o rival com uma marcação sob pressão, dificultando a saída de bola cruzeirense. Foi dessa forma que saiu o segundo gol cruzeirense. Os atletas entraram com espírito de decisão, digno de quem quer quebrar um jejum de 15 anos sem títulos nacionais.

Marcação praticamente perfeita – Exceto um vacilo de Edilson, que com dois minutos de jogo deu a bola para Arrascaeta finalizar para grande defesa de Marcelo Grohe (a única do duelo), o sistema defensivo se comportou muito bem, deixando poucos espaços para os anfitriões criarem. Geromel foi muito bem por baixo e por cima. Kannemann atuou com muita garra, porém, exagerou nos carrinhos e levou cartão amarelo.



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)