Opinião: Santa Cruz precisa pensar em 2017

Alirio Moraes Santa Cruz
Crédito da Foto: Reprodução/Tv Jornal

O Santa Cruz tem uma dura missão para escapar do rebaixamento no Brasileirão em 2016 e precisa resolver seus problemas estruturais para 2017.

LEIA MAIS: 
Mercado da Bola: Keno está perto de trocar o Santa pelo Santos em 2017                    João Paulo vê bom rendimento do Santa contra o Palmeiras

Já são cinco meses de salários atrasados no administrativo e três meses em relação aos jogadores. Dinheiro de cota de televisão bloqueados e grande montante de dívidas. Um ano que começou promissor com dois títulos importantes para o Clube e um começo muito acima das expectativas no Brasileirão, vai iniciando seu desfecho de uma maneira complicada para o tricolor do Arruda.

Desde que iniciou sua gestão, o presidente Alírio Moraes priorizou colocar o Santa Cruz nos eixos. No inicio deste ano, todos os salários correntes estavam pagos e as dívidas estavam sendo negociadas. O Santa Cruz havia voltado à elite do futebol após 10 anos afastado, depois de uma campanha de vice-campeão na série B em 2015 e muito trabalho. O Santinha mais uma vez estava sendo vitrine em rede nacional e com fôlego para garantir permanência na série A.

Em maio deste ano a cúpula da equipe decidiu partir para o ataque e trocou a direção de Marketing. Saiu Jorge Arranja e chegou Priscila Ulbrich, que parecia ter mais experiência a nível nacional e prometeu transformar o Santa Cruz no Barcelona do Nordeste. Nada foi feito.

Além disso, fontes internas revelaram o grave problema de relacionamento que ela trouxe para dentro do clube. O desgaste foi se agravando e culminou na sua demissão, menos de quatro meses depois de sua chegada. Os torcedores mais supersticiosos garantem que a chegada da ex-diretora empurrou o Santa ladeira abaixo.

O fato é que faltando 10 rodadas para acabar o campeonato, o Santa precisa fazer uma campanha de Libertadores para escapar do rebaixamento. Mas não é preciso desânimo e pessimismo. Um time que faz a trajetória que o Santinha fez em 10 anos, indo da série A às série D e depois retornando à elite, sobretudo ainda enrolado em dívidas, um rebaixamento no primeiro ano não é o fim do mundo. A série B sempre foi um lugar ideal para os times se reestruturarem e criarem corpo para voltar a série A em condições de disputar esse que é o campeonato mais difícil do mundo.

A diretoria do Santa precisa renovar com o Doriva, que mostrou em alguns momentos que esse time poderia render muito mais do que rende, muito por causa do seu bom ataque formado por Keno e Grafite. Além disso, procurar urgente zagueiros mais consistentes já que o ano do Santa Cruz, defensivamente falando, foi um desastre. Os títulos conquistados pelo time esse ano vão ficar na história, como todos os títulos.

Ainda é possível escapar da série B, faltando 30 pontos a serem disputados. Mas independente do resultado dentro de campo, a direção precisa pensar 2017 para garantir que o Santinha continue sendo o Gigante do Arruda.