Playoffs MLB: o que esperar de New York Mets X San Francisco Giants?

Os playoffs da Major League Baseball (MLB) começaram na última terça-feira (04/10) com a vitória do Toronto Blue Jays diante do Baltimore Orioles pelo placar de 5 a 2. Nesta quarta-feira (05/10) ocorre o segundo jogo da repescagem, entre New York Mets X San Francisco Giants, em Nova York, Estados Unidos, a partir das 21hs do horário de Brasília, com transmissão dos canais ESPN. Quem vencer a partida, encara o Chicago Cubs na fase divisional dos playoffs. O Torcedores.com disseca os dois times e informa os pontos positivos e negativos das duas equipes. Confira:

LEIA MAIS:
PLAYOFFS DA MLB COMEÇAM HOJE. CONFIRA OS CONFRONTOS
PEGADOR DE BOLA FAZ RECEPÇÃO INCRÍVEL NA NFL

 

NEW YORK METS

new york mets

campanha – 87 vitórias e 65 derrotas – segundo colocado na divisão leste da conferência nacional

ponto forte: arremessadores titulares

ponto fraco: ataque

destaques do ataque: Yoenis Cespedes e Asdrubal Cabrera

melhor arremessador titular: Noah Cindergard

 

O vice-campeão da World Series de 2015 sofreu com lesões de 3 de seus principais arremessadores em 2016. Os substitutos Robert Gsellman e Seth Lugo, entretanto, conseguiram fazer um bom trabalho em 2016 e mantiveram o New York Mets na temporada. Mas o principal jogador do time é o arremessador Noah Syndergaard, que estará no montinho na partida contra os Giants. Ele lidera a equipe em corridas cedidas e strikeouts. Os três ajudaram o time a ter a terceira melhor média de corridas cedidas na MLB em 2016.

O ataque preocupa, entretanto. O time é um dos que menos corridas produziu na temporada e está entre os últimos nas estatísticas em mais dois critérios. Em setembro, o time melhorou no bastão, um dos fatores que contribuíram com a vaga no wild card. Terão tarefa duríssima ao enfrentar um dos melhores arremessadores da história a pós-temporada do baseball.

SAN FRANCISCO GIANTS

san francisco giants

campanha – 87 vitórias e 65 derrotas – segundo colocado na divisão oeste da conferência nacional

ponto forte: arremessadores titulares

ponto fraco: ataque e bullpen

destaques do ataque: Buster Posey e Brandon Belt

melhor arremessador titular: Madison Bumgarner

melhor arremessador do bullpen: Sergio Romo

 

O San Francisco Giants foi um time até a metade da temporada e outro depois dela. No início, teve o melhor recorde da MLB. Depois, decaiu imensamente, com apenas 30 vitórias nos últimos 72 jogos. O péssimo trabalho ofensivo e do bullpen na metade final da temporada foram os fatores que levaram os Giants a ir muito mal. Apesar disso,o time conquistou uma vaga na pós temporada com o ataque tendo uma sobrevida nos últimos jogos, produzindo um bom número de corridas.

Os arremessadores titulares são os destaques do time. Madison Bumgarner é um dos melhores jogadores da MLB, assim como Johnny Cueto. Além disso, é uma equipe que cresce em outubro. Foram 3 World Series conquistadas desde 2010, com muitos jogadores campeões ainda presentes no elenco. Se vencer os Mets na partida de wild card, San Francisco pode novamente dar trabalho na pós-temporada.

 

O CONFRONTO

Será um confronto de gigantes no montinho. Madison Bumgarner é um dos melhores arremessadores da história da pós temporada. Para se ter uma ideia, no jogo de wild card da Conferência Nacional de 2014, Bumgarner conseguiu arremessar as 9 entradas, sem ceder nenhuma corrida. Ele foi o principal personagem na conquista da terceira World Series em 6 anos dos Giants. Cindergard não fica atrás e também deve limitar o ataque dos Giants a poucas corridas. Se fossemos apostar, daríamos uma vantagem ao San Francisco Giants, mesmo jogando fora de casa. Madison deve levar o jogo até as últimas entradas, impedindo o bullpen de entrar. Na comparação dos dois ataques, pequena vantagem para os Giants. Qauqlquer um dos que passar terá tarefa árdua ao encarar o Chicago Cubs.



Paulistano, 27 anos, deixou a publicidade e o marketing esportivo para ingressar no jornalismo e conseguir cobrir grandes eventos esportivos. Apaixonado por esportes olímpicos e futebol americano, sonha em estar no Rio de janeiro em 2016 para cobrir os Jogos Olímpicos in loco.