Presidente do Palmeiras exalta sucessor e afirma: “estarei à disposição”

Foto: Cesar Grego/Ag. Palmeiras

O Palmeiras vive um ótimo momento dentro das quatro linhas. No Brasileirão, a equipe é líder isolada com 57 pontos e no caminho certo para conquistar o nono título da competição. Mas, o Verdão passa por uma escolha importante na sua hierarquia, eleições para conhecer o novo  sucessor de Paulo Nobre na presidência. Nobre exaltou a chapa única mas disse que não vê o Verdão pacificado.

Leia mais:

PALMEIRAS É MAIS QUE UM “ROSTINHO BONITO”, AFIRMA JORNALISTA DO SPORTV
OPINIÃO – PALMEIRAS MOSTRA ESTAR PRONTO PARA LEVANTAR O BRASILEIRÃO

 

“Em primeiro lugar, não vejo o Palmeiras pacificado. Vejo que a gestão trabalhou sério e foi reconhecida pelo meio político. O nome do Mauricio Galiotte agrada a muitos eleitores, tanto sócios quanto conselheiros. O fato de ser chapa única passa pela competência dessa gestão e também pelo nome dele, que é forte e respeitado. Minha participação na próxima gestão depende do próximo presidente. Vou estar sempre à disposição, disse Nobre.

O atual vice-presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, é o único concorrente nas eleições que vão definir o sucessor de Nobre e o Conselho Deliberativo deve aprovar a chapa para avançar à assembleia dos sócios, marcada para 26 de novembro. Neste período o clube pode já ser campeão do Brasileiro.

Na última terça-feira(04), Paulo Nobre disse em entrevista que ganhar da WTorre ( parceira do clube no Alliaz Parque) foi evitar ‘tragédia’ no Palmeiras. Vale lembrar que o time está invicto a 11 jogos e enfrentará o América-MG em Londrina-PR como visitante, porém deve se sentir em casa.

A escolha de Galiotte como sucessor de Nobre foi influenciada pelo ex-presidente Mustafá Contursi. O Palestra ainda contará com Genaro Marino, Antonino Jesse Ribeiro, Victor Fruges e José Carlos Tomaselli para completar a chapa. Por considerar ter feito um bom trabalho, o atual presidente se coloca à disposição do clube e do novo presidente.

“Eu diria que desde que comecei a militar na vida política do Palmeiras, em 1997, sempre estive à disposição dos presidentes para ajudar o clube. Não é porque fui presidente que vou mudar. Sempre que o Palmeiras precisar, sempre que for chamado, estarei à disposição”, finalizou.



Sou apaixonado por esportes e política. Escrever é minha paixão. A vida é muito intensa para ser editada em palavras!