UFC 204: Bisping x Henderson, vingança ou saída triunfal?

Reprodução/Twitter

O UFC 204 está marcado para este sábado (8), na cidade de Manchester (ING), opondo no evento principal o campeão dos pesos-médios do Ultimate, Michael Bisping, contra o desafiante Dan Henderson. Um confronto marcado pela história pessoal de ambos na organização e por uma revanche histórica.

LEIA MAIS

EQUATORIANO É ACUSADO DE SIMULAR LESÃO PARA FUGIR DA POLÍCIA E ESCAPAR DE PRISÃO

NAMORADO DE RONDA SORRI E POSA AO LADO DE ALCE MORTO E É CRITICADO

Os dois lutadores tem uma rivalidade antiga desde que foram técnicos do ‘The Ultimate Fighter 9’ e se enfrentaram no UFC 100, em julho de 2009. Henderson venceu o britânico por nocaute, por sinal um dos mais icônicos da história do Ultimate.

Sete anos depois, os dois voltam se enfrentar, desta vez com Bisping como campeão dos médios e Henderson buscando em sua última luta na carreira fazer novamente mágica. Além do lendário nocaute, outras circunstâncias rodeiam este evento.

A luta principal do UFC 204 opõe o inglês, um adversário vocal do uso de substâncias usadas para melhoria da performance (o famoso doping) no MMA contra Hendo, que durante muito tempo foi usuário do chamado TRT (Terapia de Reposição de Testosterona), método permitido até há algum tempo pelo Ultimate e polêmico pelo fato de estar supostamente ligado ao uso de esteroides anabolizantes. Em vários momentos desde que a luta foi anunciada, os dois lutadores trocaram farpas sobre o assunto, inclusive com troca de acusações sobre uso de doping.

Henderson é baseado no wrestling e foi campeão de duas categorias no falecido Pride (categoria dos médios e meio-médios), mas nos últimos vem investindo mais em ser um ‘nocauteador’, com sua direita sendo sua principal arma. Mas de suas últimas seis lutas, tem uma campanha de 3-3, tendo vencido Hector Lombard no UFC 199 para ganhar novamente a atenção de Dana White e ter a chance de encerrar a carreira com o cinturão.

Bisping, por sua vez, só pode dizer que é campeão com um ‘empurrãozinho’ de Chris Weidman, que iria enfrentar Luke Rockhold no mesmo UFC 199, mas se lesionou e permitiu a ‘The Count’, lutador que não tem um soco considerado como dos mais potentes da divisão, bater o então campeão e trazer para si um título que esteve perto por muitas vezes, mas sempre com alguém o impedindo de chegar perto dele.

Por todas essas circunstâncias e a chance de dar a resposta daquele nocaute de 2009, Bisping só pensa em uma coisa: não deixar sequer espaço para levar a ‘bomba de direita’ de Henderson, assim como o americano não quer se expor demais a um lutador que vem mostrando mais armas do que ele. Pode não ser a luta dos sonhos da divisão, mas que o UFC 204 se tornou bastante atrativo por causa dessa revanche, não há como duvidar.

(Crédito da foto: Reprodução/Twitter)