Veja as 5 coisas mais bizarras que já aconteceram no MMA

Reprodução/YouTube

O MMA é um esporte em constante ascensão. Apesar de o Brasil não estar tão em alta, principalmente no UFC, maior organização de artes marciais mistas, as lutas ainda têm espaço no noticiário. Mas nem tudo no MMA são grandes eventos – como o UFC 204, que acontecerá neste sábado (8), em Manchester, na Inglaterra -, com disputas de cinturão e grandes doses de profissionalismo. Há muita coisa bizarra que já aconteceu dentro de cages e octógonos por aí.

LEIA MAIS:
PODE ISSO? FILHO DE POLÍTICO RUSSO LUTA MMA (E VENCE!) COM APENAS 11 ANOS
20 ATLETAS QUE ANUNCIARAM APOSENTADORIA AOS 30 (OU ATÉ ANTES DISSO)

O Torcedores.com relembra aqui cinco as cinco coisas mais esquisitas e bizarras que já aconteceram em lutas de MMA:

1) Luta de crianças na Rússia

O World Fight Championships of Akhmat, na região da Chechênia, na Rússia, “inovou” recentemente: colocou crianças para lutar como se fosse adultos, isto é, sem proteção nenhuma, nem mesmo na cabeça.

Nesta luta, Adam Kadyrov, filho de 11 anos do presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, venceu David Khalatov por decisão. Algo, no mínimo, polêmico.

2) Atleta luta com palito de dente na boca

Ex-campeão do UFC e desafiante ao cinturão do peso leve (70kg) do Bellator, o norte-americano Ben Henderson já lutou – mais de uma vez! – com um palito de dente na boca.

“Não acho que seja contra as regras. Ter um palito de dente da boca, para mim, é tão perigoso quanto ter um cara de 90 kg me socando na cara ou tentando me acertar um chute no rosto. Eu estou mais preocupado com isso, para ser sincero”, disse, uma vez, em entrevista ao programa “The MMA Hour”.

3) Diferença de quase 200kg entre dois lutadores

O norte-americano Emanuel Yarborough foi o lutador mais pesado a lutar MMA profissionalmente. Com quase 300kg (272kg, para ser mais preciso), o atleta do sumô foi o protagonista do combate com a maior diferença de peso entre os dois atletas.

E, em junho de 1998, ele entrou no ringue do Pride Fighting Championship para encarar o japonês Daiju Takase. Detalhe: o oriental pesava 76kg. A diferença era de 196kg. Mas Takase venceu por nocaute.

4) Grupo x grupo

O MMA é um esporte individual, certo? Não para os organizadores do Team Fighting Championship. O evento promove lutas em que dois times lutam entre si. Vale, até mesmo, dois atletas enfrentarem um rival solitário.

Estranho, não?

5) A luta que não “aconteceu”

O norte-americano Muhammad Ali foi um dos grandes boxeadores da história do esporte. O japonês-“brasileiro” Antonio Inoki (ele foi para o Brasil com 14 anos) foi um lutador de livre livre. Em 1976, eles resolveram se enfrentar, no Japão. E foi um duelo bem esquisito.

Por causa da diferença das modalidades, as regras limitavam Inoki: o japonês não poderia derrubar Ali e, chutes, poderiam ser dados apenas com os joelhos no chão. Ali, que não era bobo, não tentou se embolar com Inoki e só tentou aplicar socos de longe. Resultado: um empate bem sem graça.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.