World Series 2016: O que esperar de Chicago Cubs X Cleveland Indians?

Nesta terça-feira (25/10), a partir das 22hs horas do horário de Brasilia, começa a World Series, a grande final da Major League Baseball (MLB). A série, melhor de sete partidas, terá o Cleveland Indians, vencedor da Liga Americana contra o Chicago Cubs, vencedor da Liga Nacional. As duas equipes amargam um período sem títulos que já dura muito tempo. O Torcedores.com informa os destaques de cada equipe, com pontos fortes e fracos, comparação dos dois elencos e um palpite para o duelo

LEIA MAIS:
COMO ASSISTIR CHICAGO CUBS X CLEVELAND INDIANS NA TV
CONTRA “MALDIÇÃO DO BODE”, CHICAGO CUBS TENTA ENCERRA JEJUM DE 108 ANOS

 

CLEVELAND INDIANS

presenças em World Series: 6 (1920, 1948, 1954, 1995, 1997 e 2016)

títulos: 1920 e 1948

campanha na temporada regular – 94 vitórias e 67 derrotas – primeiro colocado na divisão central da Liga Americana,

campanha nos playoffs: Venceu o Boston Red Sox por 3 jogos a 0 nas semifinais da Liga Americana; Venceu o Toronto Blue Jays por 4 jogos a 1 na final da Liga Americana

ponto forte: bullpen e ataque

destaques do ataque: Francisco Lindor

destaques dos arremessadores: Andrew Miller

cleveland indians al

O Clevland Indians sofreu um duro golpe no final da temporada regular ao perder os seus dois melhores arremessadores titulares por lesão. Isso colocou uma pulga atrás da orelha para os playoffs, já que o time enfrentaria o Boston Red Sox, dono do melhor ataque da MLB em 2016. O experiente técnico do time Terry Francona fez um brilhante trabalho com seu bullpen,e conseguiu fazer um rodízio de arremessadores que matou os poderosos ataques de Boston e Toronto.

O ataque do time, que teve sucesso durante a temporada regular, sendo o terceiro melhor da MLB em corridas anotadas, também teve sucesso nas duas séries dos playoffs. Francisco Lindor é o quinto jogador com mais rebatidas válidas nos playoffs até agora (10 no total). Junto com os experientes Mike Napoli e Carlos Santana, devem dar trabalho aos arremessadores dos Cubs. O destaque do time até agora e o arremessador Andrew Miller, que vem sempre do bullpen para arremessar. São incríveis 11 innings arremessados,nenhuma corrida cedida e 21 strikeouts para o jogador, eleito o MVP das finais da Liga Americana.

 

CHICAGO CUBS

presenças em World Series: 11 (1906, 1907, 1908, 1910, 1918, 1929, 1932, 1935, 1938, 1945 e 2016)

títulos: 1907 e 1908

campanha na temporada regular – 103 vitórias e 58 derrotas – primeiro colocado na divisão central da Liga Nacional

campanha nos playoffs: Venceu o San Francisco Giants por 3 jogos a 1 nas semifinais da Liga Nacional; Venceu o Los Angeles dodgers por 4 jogos a 2 na final da Liga Nacional

ponto forte: arremessadores titulares e ataque

destaques do ataque: Javier Baez, Kris Bryant

destaques dos arremessadores: Jon Lester e Kyle Hendricks

chicago cubs world series

O time que não ganha nada há 108 foi extremamente dominante na temporada regular da MLB. Com quatro arremessadores inciais muito bons e um ataque explosivo, Chicago teve a melhor campanha dentre todos os 30 times em 2016. Os torcedores, acostumados com maldições, derrotas inesperadas e azar na pós-temporada, certamente ficaram com medo que o time sentisse o peso de não chegar a uma World Series há 71 anos e não conquistar um título há 108.

Mas isso não aconteceu. O time manteve a boa performance nas duas séries dos playoffs, Jon Lester, o melhor arremessador dos Cubs no ano, vem sendo absoluto no montinho. Até agora, foram 21 innings jogados pelo arremessador nos dois jogos que disputou, e uma média de 0.86 corridas cedidas. Não a toa, foi eleito o MVP da Liga Nacional nos playoffs, ao lado do rebatedor Javier Baez.

O ataque oscilou um pouco e chegou a ficar duas partidas sem anotar nenhuma corrida. Enquanto jogadores de peso como Anthony Rizzo e Jason Heyward tiveram quedas de produção, outros como Wilson Contreras e Addison Russell cresceram e ajudaram Baez, Kris Bryant e Dexter Fowler. a castigar alguns dos melhores arremessadores da MLB nesses playoffs, como Madison Bumgarner e Clayton Kershaw.

 

DUELOS POR POSIÇÕES

No bastão, a vantagem é dos Cubs. Ainda que o time tenha passado dois jogos dos playoffs sem anotar corridas e que Anthony Rizzo, uma das estrelas do time em 2016, tenha demorado a engrenar, os Cubs contam com 4 jogadores que estão muito “quentes” rebatendo a bola: Kris Bryant, Javier Baez, Ben Zobrist e Addison Russell. Além disso, Chicago também contará com a volta de Kyle Schwarber, lesionado desde o início do ano. Se ele voltar bem, é mais uma arma para o poderoso ataque dos Cubs. Os Indians têm boas peças ofensivas, mas que não estão rendendo tanto nos playoffs. Mike Napoli, Jason Kipnis e Carlos Santana precisam melhorar o aproveitamento, ainda mais sabendo que enfrentarão grandes arremessadores. O time que foi líder em bases roubadas na temporada regular precisará voltar utilizar essa arma, até aqui esquecida nos playoffs. Só Francisco Lindor está muito “quente” no bastão, e, como diz o ditado, “uma andorinha só não faz verão”.

Nos arremessadores titulares, vantagem novamente para os Cubs. Jon Lester, Kyle Hendricks, Jake Arietta e John Lackey formam uma rotação titular melhor do que a dos Indians, ainda que Corey Kluber, Trevor Bauer, Josh Tomlin e Danny Salazar não sejam ruins. Lester e Hendricks estão fazendo uma grande pós-temporada e devem limitar o ataque de Cleveland. Além disso, Trevor Bauer sofre com uma lesão no dedo, após se machucar com um drone e Salazar volta ao time após 9 meses lesionado. Se conseguirem jogar em alto nível, ajudarão bastante a equipe. Os titulares dos Indians precisarão fazer grandes partidas para que o bullpen trabalhe menos, já que a série é decidida numa melhor de sete partidas.

Nos arremessadores provenientes do bullpen, a vantagem é para os Indians. Andrew Miller está fazendo uma pós-temporada impecável, com incríveis 21 strikeouts em 11 innings arremessados e nenhuma corrida cedida e foi um dos responsáveis por anular dois dos melhores ataques da MLB nos playoffs. Além dele, o fechador dos Indians Cody Allen também está fazendo uma grande pós-temporada; são 5 jogos disputados sem ceder nenhuma corrida, além de 12 strikeouts. Portanto, os Cubs precisam anotar corridas no início do jogo, pois buscar o resultado nos innings finais pode ser complicado.

 

PALPITE TORCEDORES.COM

John Lester e Kyle Hendricks conseguirão fazer grandes jogos diante do ataque dos Indians, deixando o bullpen dos Cubs pouco tempo em campo e mais descansado. Cleveland continuará a fazer um bom revezamento de arremessos e deve ter sucesso nos primeiros quatro jogos, mas o time estará mais cansado para as outras partidas. Acreditamos que a série ficará empatada em 2 jogos a 2 após 4 partidas.

Na quinta partida, o ataque dos Cubs conseguirá finalmente castigar os arremessadores do bullpen dos Indians e terão a vantagem no jogo 5. No jogo 6, mesmo com a torcida a favor, os Indians não conseguirão forçar o jogo 7 e os Cubs sairão da fila após 108 anos, para delírio da cidade de Chicago.

 



Paulistano, 27 anos, deixou a publicidade e o marketing esportivo para ingressar no jornalismo e conseguir cobrir grandes eventos esportivos. Apaixonado por esportes olímpicos e futebol americano, sonha em estar no Rio de janeiro em 2016 para cobrir os Jogos Olímpicos in loco.