Andrés Sanchez sugeriu contratação de Cristóvão Borges ao Corinthians

Cristóvão Borges
Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

A passagem de Cristóvão Borges pelo Corinthians durou muito pouco devido aos maus resultados apresentados pelo clube no segundo turno do Campeonato Brasileiro. Contratado em junho para substituir Tite, que foi para a Seleção Brasileira, o técnico foi sugestão de Andrés Sanchez, ex-presidente do Timão.

LEIA MAIS:

MERCADO DA BOLA: TIMÃO TERIA INTERESSE EM VOLANTE DO PALMEIRAS
VEJA QUANTO ATLÉTICO-MG E GRÊMIO VÃO GANHAR POR DECIDIREM A COPA DO BRASIL
PRESIDENTE DO SANTOS BRINCA COM ‘APETITE POR REFORÇOS’ DE ALEXANDRE MATTOS

Convidado do programa “Bola da Vez”, da ESPN Brasil nesta terça-feira (8), Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians, admitiu que foi dele a sugestão para a contratação de Cristóvão, porém, negou que tenha sido o responsável.

O presidente [Roberto de Andrade] me chamou para uma reunião e queria outro treinador, haviam outros nomes. Eu dei o nome do Cristóvão. Mas não fui eu que contratei. O clube é presidencialista. Quem decide é o presidente“, revelou o ex-dirigente do Timão.

Eu nem conhecia o Cristóvão. Eu fui conhecê-lo apenas no sábado, quando ele foi apresentado“, continuou.

Tempo de Cristóvão no Timão

Até hoje, Andrés Sanchez é muito elogiado por ter mantido Tite no comando do Corinthians mesmo após uma das mais vexatórias eliminações do clube na Libertadores, contra o Tolima, em 2011.

Na sequência, sob o comando do atual treinador do selecionado do Brasil, o time alvinegro foi campeão brasileiro no mesmo ano, além da Libertadores e do Mundial de Clubes no ano seguinte.

Questionado se foi acertada a demissão de Cristóvão após apenas 18 jogos no comando (sete vitórias, cinco empates e seis derrotas), Andrés foi contra.

Eu acho que tinha que esperar“, resumiu o atual deputado federal (PT/SP), que revelou ainda ser amigo do atual treinador corintiano, Oswaldo de Oliveira.

“Sou amigo de apenas quatro técnicos: o Tite, o Oswaldo, o Muricy [Ramalho] e o Vanderlei [Luxemburgo].”