Como o Grêmio pode ver 2016 virar um dos melhores anos da sua história

Despacito
Foto: Lucas Uebel/Fotos Públicas (22/10/2016)

Depois de uma promissora temporada de 2015, quando o então novato técnico Roger Machado surpreendeu ao levar o Grêmio ao terceiro lugar do Brasileirão, o novo ano começou recheado de expectativas para os tricolores. Mas as frustrações não demoraram a acontecer. Nas três primeiras competições do ano, três eliminações: Gauchão, Primeira Liga e Libertadores.

LEIA MAIS:

Conheça os finalistas do Prêmio Torcedores.com de Mídia Esportiva 2016

Prêmio Torcedores.com terá sua segunda edição em 2016 – e com novidades!

No início do Brasileirão, Roger até conseguiu extrair um pouco mais do grupo de jogadores e chegou a ensaiar uma briga pelo título. Mas perdeu força com o passar das rodadas e não resistiu à goleada de 3×0 para a Ponte Preta, pedindo demissão no vestiário. A diretoria agiu rápido e buscou o eterno ídolo Renato Gaúcho, um dos pilares da retomada gremista que poderá fazer de 2016 um dos melhores anos da história do clube.

FIM DO JEJUM: Os gremistas, com razão, não aguentam mais a falta de títulos do clube. Desde 2001, o time não vence uma grande competição – quando faturou a Copa do Brasil – e desde então sofrem com as cornetas dos rivais. Os colorados têm aproveitado o período e esse ano, ao vencerem o Gauchão, até dançaram a “Valsa dos 15 anos”. Dentro de duas semanas, o Grêmio inicia a disputa da final da Copa do Brasil e enfim terá a chance de acabar com a incômoda fila.

TÍTULO NA ARENA: No imaginário dos mais otimistas dos torcedores do Grêmio, surge uma Arena lotada por mais de 55 mil pessoas no dia 30 de novembro, data do jogo final do confronto contra o Atlético-MG pela Copa do Brasil. Inaugurada em dezembro de 2012, a nova casa gremista ainda não teve a oportunidade de sediar uma final. O primeiro título, se vier contra o Galo daqui a três semanas, seria inesquecível para os gremistas.

O FATOR RENATO: Como jogador, Renato Portaluppi participou da maior conquista da história do Grêmio. Com dois gols, ajudou o Grêmio a vencer o Hamburgo na final do Mundial de 1983. Mesmo quando esteve fora do clube, nunca deixou de ser o grande ídolo dos dias atuais. Como treinador, pode ganhar com o Grêmio o seu primeiro título. Renato na casamata, com uma Arena lotada e o jejum de títulos se encerrando levariam os gremistas ao ápice do sentimento pelo clube.

INTER NA SÉRIE B: Mesmo em alta, o Grêmio e os seus torcedores não conseguem ficar alheio à péssima fase que vive o rival, em vias de ver sacramento o seu primeiro rebaixamento da história. O Inter tem quatro rodadas para evitar uma queda em que os matemáticos projetam mais de 50% de chance. Os gremistas, que já viram o Grêmio cair duas vezes, terão um prato cheio para toda a eternidade.

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.