Flamengo vê estádio próprio como alternativa à Maracanã e dirigentes vão sobrevoar terrenos

Foto: Rodrigo Coca / Flamengo

 O Flamengo não vê com bons olhos a notícia de que o Governo do Rio de Janeiro pretende transferir a concessão do Maracanã, da atual Odebrecht, principal concessionária do estádio, para a francesa Largadère. Esse fato faz o clube buscar novas alternativas. Segundo o Globoesporte.com, dirigentes do Rubro-negro vão sobrevoar dois terrenos, nesta quarta-feira, oferecidos por empresas interessadas em troca no Edifício Hilton Santos (sede do Morro da Viúva). 

Leia mais:

FLAMENGO LUCRA MAIS DE R$ 1,5 MILHÃO NA VOLTA DO MARACANÃ CONTRA O CORINTHIANS
RICARDO ROCHA VÊ FLAMENGO “PAGANDO” JOGOS FORA DO RIO E COLOCA TIME ENTRE FAVORITOS PARA 2017

 

 

A ideia do Flamengo é analisar a viabilidade de uma possível construção de um estádio próprio, com capacidade para cerca de 50 mil pessoas. O Clube ainda tem esperança de administrar o  Maracanã e pode usar a seu favor contra o Governo do Estado do Rio de Janeiro, o fato de duas empresas estarem interessadas em conceder o terreno para seu estádio para pressionar a abertura de uma nova licitação.

Segundo o portal da Globo, o Flamengo garante não ter sido avisado sobre a decisão de transferência da concessão do Maracanã. O clube espera um projeto de lei que deve entrar em votação na Câmara de Vereadores permitindo a transformação da sede do Morro da Viúva em em prédio residencial ou hotel, a sede está desabitada. O Flamengo crê em iniciar a licitação em janeiro de 2017.

Alexandre Wrobel,  vice-presidente de patrimônio do Flamengo, explicou  à reportagem que o clube espera um decisão do Estado para tomar medidas. Essa decisão será com base na futura gestão do Maracanã.

“Para o Flamengo, o ideal é ter a administração do Maracanã e construir um estádio de pequeno porte na Gávea. Mas diante das notícias que estão surgindo, podemos adotar um outro caminho. Recebemos duas ofertas de troca do Morro da Viúva por terrenos para a construção de um estádio e vamos avaliar de acordo com a postura que o Estado adotar.”



Sou apaixonado por esportes e política. Escrever é minha paixão. A vida é muito intensa para ser editada em palavras!