Opinião: McGregor é reflexo do que o UFC está se tornando

Credito/Getty Images

Com apenas 10 lutas na principal organização de MMA do mundo, Conor já detém 2 cinturões de diferentes categorias

 

LEIA MAIS: MCGREGOR PEDE DESCULPAS PARA “ABSOLUTAMENTE NINGUÉM” APÓS MAIS UMA VITÓRIA NO UFC

 

Neste sábado, no UFC 205, McGregor se sagrou campeão dos pesos leves – já detinha o título dos penas, e se tornou um “mito” do esporte, de acordo com diversos jornais do mundo todo.

Conor é o peão desse tabuleiro chamado UFC, onde Dana White é o jogador e mexe as peças como e quando bem entende. Falastrão, o lutador arrasta público para as Arenas e traz mais patrocínios para cada evento que participa. Não seria nenhum problema se fosse apenas isso. Afinal, qualquer organização prioriza o lucro e os patrocínios, vitais para qualquer esporte. Porém, quando essas questões começam ser mais importantes do que o próprio MMA, a integridade da organização começa ser questionada. O Ultimate está caindo no descrédito aos poucos.

Com apenas 10 lutas do irlandês na organização, o UFC já causou problemas até com seus próprios atletas, como José Aldo. Defendendo seu cinturão dos penas há anos, Aldo viu seu tudo ir embora após ser derrotado por McGregor, e não teve chance de revanche imediata – como de costume após tantas defesas. Insatisfeito, o brasileiro disse querer rescindir seu contrato e revelou o desejo de trabalhar com o futebol. Aos poucos o Ultimate está conseguindo perder um dos maiores lutadores do esporte na história. Junto aos atletas, está perdendo também respeito do público e começa a ser questionado.

Criando ídolos instantâneos, com foco único e exclusivamente no pay per view, o esporte cai no descrédito, onde a meritocracia no casamento de lutas para disputas de cinturão já não é o critério mais importante. Aos poucos, sem perceber, a organização está virando piada, e quem está contando as pilhérias é Conor. Nunca um apelido caiu tão bem. Notorious.



Estudante de jornalismo. Apaixonado por esportes e pela vida.