Pela última vez: A relação de Massa com o GP do Brasil

Foto: Espn

Neste domingo, 13 de novembro de 2016, Felipe Massa vai disputar pela última vez o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. Dez anos depois da sua primeira vitória no autódromo de Interlagos, em São Paulo. O piloto, alguns meses atrás, anunciou a aposentadoria da principal categoria do automobilismo ao fim desta temporada.

 “Estou realmente feliz. Emocionado, feliz porque estou tendo uma semana muito especial. Tenho certeza que o fim de semana vai ser ainda mais especial, quando os torcedores estiverem do jeito brasileiro no circuito”, declarou.

A relação em Interlagos começou “estremecida. No GP de 2002, Massa não completou a prova por causa de uma colisão na volta de número quarenta e um, quando era contratado da Sauber-Petronas. Não disputou em 2009, por causa do acidente, em que foi atingido na cabeça por uma mola que se soltou do carro de Rubens Barrichelo. Nos anos 2010, 2011 e 2013, não conseguiu ficar no pódio. Terminou em 15°, 7°, e 9°, respectivamente; na temporada de 2015 foi o 8° colocado. Mas, também possui retrospectos positivos.

Massa, no ano de 2006, sendo carregado por torcedores, no GP do Brasil. Foto: Mark Thompson/Getty Images

No autódromo, foram duas vitórias: Em 2006, quando era companheiro de Michael Schumacher na Ferrari, ele encerrou um jejum de treze anos sem vitória de um brasileiro no GP do Brasil –  a última havia sido com Ayrton Senna no ano de 1993. Na época, a vitória foi surpreendente.

Aquele momento também ficou marcado por usar um macacão com a bandeira brasileira, ao invés do tradicional vermelho da escuderia italiana.

 

Foto AFP
O brasileiro se emocionou durante o pódio, em 2008. Foto AFP

Na segunda vitória, em 2008, era um dos protagonistas e estava brigando pelo título mundial com o inglês Lewis Hamilton. O fim de semana estava sendo perfeito, pois conseguiu fazer a pole position e vencer a corrida. Dessa forma, ficaria com o título. Entretanto, na última curva, o inglês ultrapassou o alemão Timo Glock, assumiu o 5° lugar e conseguiu celebrar o título, com um ponto de vantagem. Deixando-o com o vice-campeonato. Em termos de resultado, foi a melhor temporada de Felipe Massa.

Essas duas vitórias poderiam ter sido três; mas por um jogo de equipe o brasileiro – que não lutava para ser campeão – deixou Kimi Raikkonen ultrapassá-lo, na última volta, assim o finlandês ganhou a corrida e o campeonato da categoria, em 2007.

 

Felipe comemora a terceira colocação, no GP de 2014, em Interlagos. Foto: Ivan Pacheco/VEJA.com
Felipe comemora a terceira colocação, no GP de 2014, em Interlagos.
Foto: Ivan Pacheco/VEJA.com

Conseguiu um lugar no pódio, ao ficar em terceiro em 2012. Depois de deixar a Ferrari e assinar contrato com a Willians, a temporada 2014 “trouxe um presente”. Justamente em Interlagos. Novamente, uma terceira posição celebrada pelo piloto e torcedores.

E estar novamente no pódio é o sonho de Massa nessa despedida do circuito – lembrando que a última corrida será em Abu Dhabi.

“Interlagos é a minha casa, o lugar onde eu cresci. Será uma corrida emocionante por ser a última vez que vou correr lá. Estou ansioso e quero aproveitar cada volta, e espero que possa terminar a prova com um bom resultado”, disse o piloto brasileiro.

Para esta corrida, a equipe homenageia o brasileiro ao alterar o nome de Williams Martini Racing para Willians Massa Racing. Além da palavra “obrigado” na asa traseira do carro.