Presidente do Sindicato dos Atletas de São Paulo afirma: ”Nosso foco é que os clubes paguem os salários”.

16. Foto: Marcos Ribolli.

O presidente do Sindicato dos Atletas de São Paulo e ex goleiro Rinaldo Martorelli, deu uma entrevista na última quarta-feira a rádio Transamérica SP, para falar sobre um ofício enviado à Federação Paulista de Futebol sugerindo que os times paulistas não participem dos campeonatos caso estejam com os direitos trabalhistas em atraso. Segundo o mandatário, o documento se baseia nas mudanças das leis de responsabilidade fiscal e financeira (PROFUT) e solicita que os clubes só poderão participar dos campeonatos organizados pela FPF caso apresentem a CND (Certidão Negativa de Débitos) e a certidão de isonomia do FGTS , além de provas legais de que os salários e direitos de imagem estão regularizados. O ex goleiro ainda afirma que, caso a Federação Paulista de Futebol não acate o ofício, o sindicato entrará com uma ação judicial contra a organização:

”Desde março estamos lutando por essa assinatura. Somos estudiosos na área, sabíamos de toda a alteração feita no Estatuto do Torcedor. Já que nada prosperou, nós insistimos tudo o que pudemos no âmbito desportivo, que era o nosso acordo. Quando vimos que a coisa não ia andar, nós notificamos à Federação para que ela exija dos clubes. Na verdade, nós não queremos impedir que os clubes participem, a gente quer que eles paguem os salários, estamos propondo uma revolução para que não haja transtorno nem para a Federação nem para os clubes”.

Rinaldo Martorelli, presidente do Sindicato dos Atletas de São Paulo. Foto: Divulgação.
Rinaldo Martorelli, presidente do Sindicato dos Atletas de São Paulo. Foto: Divulgação.

 

”A gente espera que a Federação cumpra ou que seja feito um acordo entre as partes para que hajam os pagamentos dos valores do ano passado. Caso a Federação descumpra o nosso requerimento, não nos cabe outra alternativa senão o ingresso de uma ação judicial, uma ação civil pública com a obrigação de fazer (cumprir o documento), e quando a gente faz esse requerimento via justiça, existe na lei penalidades para as entidades de administração, que é a Federação, e para as de prática, que são os clubes, que vão desde multas de até 2 milhões de reais até a destituição do presidente. Não queremos desconfigurar o campeonato nem o futebol, queremos que o clube cumpra com sua obrigação, o que é uma batalha de muito tempo. A inadimplência salarial é o que atrapalha, o que mancha tudo e impede o suporte de responsabilidade na administração dos clubes. Falamos tanto em equiparar com a Europa com relação a calendário, nós precisamos é equiparar a parte financeira, pois lá os clubes não podem jogar nessa situação de inadimplência, os clubes fazem acordos, e lá as coisas estão muito bem organizadas. É isso que queremos para o nosso futebol também”, disse.

 

Santos é o atual campeão paulista. Time da Vila Belmiro regularizou direitos trabalhistas dos funcionários em 2016. Foto: Marcos Ribolli.
Santos é o atual campeão paulista. Time da Vila Belmiro regularizou direitos trabalhistas dos funcionários em 2016. Foto: Marcos Ribolli.


Tenho 19 anos e moro em São Paulo. Gosto do futebol bem jogado e também gosto de automobilismo. Jornalismo é um sonho e Faculdade ainda vou fazer. Valeu!