Roth diz que rebaixamento já estava “encaminhado” quando assumiu o Inter

Roth
Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Celso Roth carregará para o resto de sua carreira duas marcas negativas na história do Inter. Era ele na casamata colorada em Abu Dhabi, no dia 14 de dezembro de 2010, durante a derrota para o desconhecido Mazembe, do Congo, na semifinal do Mundial de Clubes. Seis anos depois, ele comandou o Inter em 16 jogos na derrocada no Campeonato Brasileiro, que culminou no primeiro rebaixamento do clube.

Em entrevista ao Lance!, Roth lamentou muito o rebaixamento da equipe, mas avaliou que a “situação já estava encaminhada” quando assumiu ainda em agosto, no lugar de Paulo Roberto Falcão, que ficou apenas cinco jogos no comando. Antes da chegada de Roth, o Inter já se mantinha há 11 jogos sem vencer, mas ainda não havia entrado na zona do rebaixamento.

LEIA MAIS:

Para Bolzan, Grêmio só fará contratações “expressivas” se vender alguém

Grêmio veta liberação de dois jogadores para a Chapecoense

Mercado da Bola: Inter tem um trunfo para concretizar vinda de Taison

“Sobre a situação do rebaixamento, entramos para reverter uma situação que já estava encaminhada. E falo em reversão por não ter participado da pré-temporada e montagem de elenco”, se defendeu Roth.

Foi sob comando de Roth que o Inter pisou pela primeira vez na zona do rebaixamento, ao empatar em 1×1 com o Sport Recife, fora de casa, na terceira rodada do segundo turno. Apesar de ter obtido vitórias importantes dentro de casa, como nas partidas contra Santos, Flamengo, Coritiba e Figueirense, o Inter seguiu namorando com o Z4 e não se livrou da queda ao final do certame, já sob comando de Lisca.

Roth, não entanto, tranquiliza a torcida colorada e diz que a passagem pela Série B vai ser breve. Ele voltou a elogiar o grupo de jogadores e pregou uma rápida retomada do clube.

“O Inter tem um elenco bastante experiente, com jovens de qualidade, como Aylon, (Gustavo) Ferrareis, Valdivia e Andrigo, que precisando de apoio e estão despontando. É um grupo que tem muito potencial para crescer. A torcida pode ficar tranquila, até pela Série B não ser o bicho-papão que foi criado”, acrescentou.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.