Victor projeta Atlético-MG na Libertadores: ‘Ninguém tem vida fácil’

Atletico-MG
Foto: Bruno Cantini/CAM

O grupo do Atlético-MG na próxima Taça Libertadores da América não tem equipes consideradas ‘grandes’ do futebol sul-americano, mas para o goleiro Victor, o Galo e nenhum outro time brasileiro que disputará a competição terá ‘vida fácil’ na próxima temporada.

De férias em Santo Anastácio (SP), o arqueiro atleticano analisou o grupo da equipe, composto por Godoy Cruz (ARG), Libertad (PAR) e Sport Boys (BOL) e vê que o time precisa tomar cuidado com os adversários, mesmo não sendo das principais equipes do continente.

LEIA MAIS

MERCADO DA BOLA: ATLÉTICO-MG PODE CEDER JOGADORES PARA CONTRATAR RITHELY

MERCADO DA BOLA: 60 JOGADORES DA LIGA ESPANHOLA TÊM CONTRATOS ENCERRANDO EM 2017; CONFIRA

“Quando se fala em Libertadores, acho que ninguém tem vida fácil. Evidentemente que o Atlético pegou clubes de menor tradição, se formos dizer assim, no cenário sul-americano, mas temos nessas equipes exemplos de grande sucesso. Fomos do mesmo grupo do Independiente Del Valle )(EQU), que foi vice neste ano. Em 2014, ficamos na mesma chave do Nacional (PAR), que também foi vice, então não tem vida fácil”, declarou Victor segundo o Globoesporte.com

“São jogos bem complicados, às vezes envolvem logísticas bem difíceis, campos difíceis de se jogar, pressão. Então, talvez, em termos de tradição, os times não sejam potências sul-americanas, mas temos que ter o mesmo cuidado e respeito para termos um bom início de Libertadores”, completou.

O último título brasileiro na Libertadores foi em 2013, com o próprio Atlético-MG. Mesmo com fracassos recentes de times do país na competição, Victor espera que nenhum adversário deixe de respeitar as equipes do Brasil na Libertadores.

“O grupo do Flamengo é um que tem equipes bem tradicionais, como o San Lorenzo e a Universidad Católica. Os que entram na segunda fase, como o Botafogo (que enfrenta o Colo Colo) acredito que terão um caminho mais complicado pela frente. Mas temos que fazer com que os outros times olhem os brasileiros com respeito, com temor. Quando se fala no futebol brasileiro, todo mundo tem que respeitar. Acredito que temos tudo para que os brasileiros façam uma grande Libertadores em 2017”, ressaltou.

(Foto: Bruno Cantini/CAM)



Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo pareciod.