5 lições que o Santos pode tirar da eliminação para Ponte Preta no Paulistão

Foto: Ivan Storti/ Santos FC

Na última segunda-feira, o Santos foi eliminado das quartas de final do Campeonato Paulista, pela Ponte Preta, com um Pacaembu lotado de santistas. O Peixe que tinha perdido o primeiro jogo por 1 a 0 em Campinas, conseguiu devolver o placar mas acabou sendo derrotado nos pênaltis.

Diante disso, o Torcedores.com mostra 5 lições que o Alvinegro Praiano pode tirar dessa desclassificação, será a primeira vez desde 2008 que o clube de Vila Belmiro não chega pelo menos na final do torneio.

LEIA MAIS:

“O CARINHO DA TORCIDA ME FEZ VOLTAR”, DIZ MAURINE SOBRE RETORNO AO SANTOS

MODESTO SE IRRITA COM PERGUNTA DE REPÓRTER, BANCA DORIVAL E DETONA ARBITRAGEM

DORIVAL JÚNIOR LAMENTA ELIMINAÇÃO, MAS ELOGIA “GRANDE JOGO” DO SANTOS

1- Santos não agrediu o adversário:

o Peixe desde o começo do jogo não buscou apertar o adversário, o goleiro Aranha quase não trabalhou, o time de Dorival Júnior tinha a bola mas não assustava a meta da equipe campineira.

2- Faltou criatividade:

Como já disse, o Santos tinha a bola, a Macaca não assustava, só que contra uma equipe que jogou na retranca é necessário ser criativo, buscar tabelas e jogadas em triangulações, foi longe do que vimos em campo no Pacaembu.

3- Dorival precisa se reinventar:

Parece que no Peixe é proibido chutar de longe, o time só sabe jogar de uma maneira, não tem variação tática, contra uma Ponte Preta teve enormes dificuldades de criar, só fez um gol em um lance de rara felicidade do zagueiro David Braz, me arrisco a dizer que não fosse isso o duelo acabaria 0 a 0. Não é a primeira vez que isso acontece em 2017, está claro: marcando as jogadas da equipe pelas laterais e neutralizando Lucas Lima e Renato, o Alvinegro Praiano é comum.

4- Ricardo Oliveira e Vitor Bueno:

A dupla vive uma má fase, os dois não são nem sombras do que foram na temporada de 2016. Ricardo Oliveira parece mal fisicamente, sem poder de movimentação e quando aparece na cara do goleiro adversário vem errando o alvo, tanto é que são apenas 2 gols em 2017. Já Vitor Bueno, não se apresenta para ajudar Lucas Lima na armação das jogadas, contra a Ponte Preta foi menos um em campo, escondido, com medo de jogar futebol.

5- Faltou jogar bola:

O Santos diante da Ponte Preta preferiu ficar discutindo com os jogadores da Macaca e quis tornar o jogo uma luta de UFC. O que esses atletas deveriam fazer era jogar bola, os mais de 37 mil torcedores mereciam coisa melhor, o jogadores do Peixe não sabe ganhar jogo na catimba, que fique de lição para Copa Libertadores.



Apaixonado pelo futebol que é a melhor invenção do homem, atualmente setorista do Santos e Futebol Feminino pelo Torcedores.com