Análise: Grêmio volta a reeditar as boas atuações de 2016, mas precisa de correções

Guaraní x GrDeportes Iquique x Grêmioêmio
Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Com futebol envolvente no primeiro tempo, o Grêmio derrotou o Deportes Iquique (3 a 2) na noite da última terça-feira, na Arena, e manteve os 100% de aproveitamento no Grupo 8 da Copa Libertadores, após duas rodadas disputadas. O time mostra evolução a cada partida, mas precisa corrigir alguns erros.

O Tricolor teve um início de partida irresistível, digno dos melhores momentos de sua história gloriosa, com trocas rápidas de passe e triangulações. Mesmo quando perdia a posse de bola, não demorava a recuperá-la graças aos precisos desarmes dos volantes Maicon e Ramiro. Algo assim já havia sido visto na goleada sobre o Veranópolis (5 a 0), no último sábado, pelas quartas de final do Gauchão. Os dois últimos jogos lembraram as exibições na reta final da Copa do Brasil de 2016, embora tanto Veranópolis quanto Iquique sejam bem inferiores à Cruzeiro e Atlético-MG.

VEJA MAIS:
Grêmio x Deportes Iquique: assista aos gols 
Narrador do Fox Sports se empolga em vitória do Grêmio: “time mais copeiro do país” 

Com apenas 27 minutos de bola rolando, o Grêmio fez 3 a 0 nos chilenos, atuais líderes do Apertura.  Aos 15, Luan tabelou com Bolaños, percebeu o goleiro Cortés adiantado e com muita inteligência o encobriu. Oito minutos depois, o atacante recebeu passe de Léo Moura, invadiu a área e com uma cavadinha deixou o arqueiro na saudade. Mais um belo gol.

Atordoada, a defesa do Iquique sofria para conter os avanços gremistas e com frequência apelava a faltas. Uma delas aconteceu dentro da área. Pedro Rocha foi derrubado dentro da área. Bolaños converteu a cobrança de pênalti e fez 3 a 0 com apenas 27 minutos. Antes do intervalo, a equipe da casa teve chances claras para ampliar. Luan chutou para grande defesa de Cortés e Pedro Rocha chutou para fora.

Com a larga vantagem no placar, o Grêmio se acomodou no segundo tempo e permitiu que o Iquique descontasse e ficasse perto do empate, o que seria um desastre para os anfitriões. Aos 16, a defesa falhou na bola aérea – um drama que acompanhou o time em boa parte da temporada passada – e Caroca testou para o gol. Aos 22, a defesa assistiu à movimentação ofensiva adversária e Dávila fez o segundo gol chileno. O detalhe é que ninguém conseguiu impedir a tabela Álvaro Ramos/Dávila.

Renato Portaluppi mexeu no time, promovendo as entradas de Fernandinho e Lucas Barrios, respectivamente, nas vagas de Maicon e Bolaños, porém, o Tricolor seguiu vacilando. Como o Iquique precisou ir com tudo em busca do empate heroico, acabou deixando muitos espaços para contra-ataque. Nos acréscimos, Pedro Rocha perdeu chance clara para fazer o quarto gol.

Que fique de lição para o Grêmio. Numa competição traiçoeira como a Libertadores, o time precisa estar concentrado durante os 90 minutos. Se o Iquique tivesse um pouco mais de qualidade técnica, provavelmente, teria trazido mais problemas.

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)