Chapecoense emite nota repudiando música de torcida portuguesa

Chapecoense
Divulgação/Chapecoense

Uma canção da torcida do Porto, emitida durante uma partida de handebol contra o Benfica e que fazia alusão ao acidente envolvendo a delegação da Chapecoense em novembro passado causou controvérsia e revolta dentro do clube. E o time catarinense lançou em seu site oficial uma nota que repudiou o ato destes torcedores.

Na música, os torcedores do Dragão diziam que ‘quem dera que o avião da Chapecoense fosse o do Benfica’. O próprio clube português manifestou-se em suas redes sociais repudiando os cânticos de sua torcida.

LEIA MAIS

“VOU JOGAR RAINBOW SIX, VOU DAR UNS TIROS PRA DAR UMA RELAXADA”, DIZ FELIPE MELO APÓS VITÓRIA

DIEGO TEM LESÃO CONFIRMADA NO LIGAMENTO E VAI PASSAR POR UMA ARTROSCOPIA

OPINIÃO: MEUS PALPITES PARA OS CONFRONTOS DOS PLAYOFFS DA NBA

Na nota publicada pela Chape, os dirigentes do clube declararam que a referência ao acidente que matou 71 pessoas na Colômbia foi ‘desairosa e ofensiva’, e pediu que o futebol, seja lugar de ‘congraçamento, respeito e concórdia’ entre times e torcedores.

“É inadimissível que se use uma tragédia como essa para insultar ou agredir qualquer um, seja por rivalidade ou o que for. Acho isso triste, lamentável e de uma falta de sensibilidade muito grande. A rivalidade do futebol não pode passar por esse tipo de sentimento. Entendo que a rivalidade entre Porto e Benfica é muito grande, mas acho uma falta de respeito com a cidade, com o clube e ainda mais com os familiares das vítimas. É lamentável e indamissível esse tipo de situação”, declarou o goleiro da Chape Artur Morais, ex-jogador do próprio Benfica.

Confira a nota oficial da Chapecoense (tirada do site oficial do clube)

A ASSOCIAÇÃO CHAPECOENSE DE FUTEBOL, em relação aos tristes acontecimentos ocorridos nesta semana em Portugal, quando uma parte da torcida do Clube do Porto, em disputa esportiva local, incitou o público presente, fazendo referência desairosa e ofensiva ao acidente do voo da Chapecoense, entoando canto agressivo e de desrespeito à memória dos mortos e do Clube, na lamentável tragédia ocorrida na Colômbia, manifesta-se com profundo pesar sobre tais fatos, que não são próprios de pessoas de bem e do meio esportivo, cujo ambiente deve ser sempre de respeito e solidariedade ao adversário e não de propagação de ódio e cizânias, mormente nos conturbados tempos atuais da humanidade.


No futebol, como em qualquer disputa no campo esportiva, deve se sobrepor o primado da ética e da solidariedade humana, sempre em busca do congraçamento e da felicidade das pessoas e dos povos, aliás, estes os objetivos maiores da vida.


Por fim, a Chapecoense, concita seus Clubes irmãos de Portugal e de todo o mundo para que disseminem o congraçamento, respeito e concórdia nas relações esportivas.

Chapecó, SC, Brasil, 13 de abril de 2017.

A Diretoria:

PLÍNIO DAVID DE NES FILHO – PRESIDENTE

IVAN TOZZO – VICE PRESIDENTE ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO

LUIZ ANTÔNIO PALAORO – VICE PRESIDENTE JURÍDICO

LUIZ ANTÔNIO DANIELLI – VICE PRESIDENTE MARKETING E PATRIMÔNIO

NEI ROQUE MOHR – VICE PRESIDENTE DE FUTEBOL
(Crédito da foto: Divulgação/Chapecoense)