Cristiano Ronaldo nega acusações de revista: “peça de ficção jornalística”

Cristiano Ronaldo
Credito: CHRISTOF STACHE/AFP/Getty Images

Jogador português responde acusações da revista alemã “Der Spiegal”, que publicou que Cristiano teria feito acordo após ser acusado de estupro

 

Cristiano Ronaldo negou, através de comunicado, as acusações da revista alemã Der Spiegal, veículo que publicou uma notícia sobre suposto acordo feito pelo jogador após ser acusado de estupro. Em nota através da “Gestifute”, empresa de seu agente Jorge Mendes, Ronaldo respondeu as acusações e promete ir à justiça.

De acordo com a notícia divulgada, o atleta teria pago cerca de R$ 650 mil, cotação de janeiro de 2010, época do ocorrido, para uma mulher após acusá-lo de estupro em 2009. De acordo com a publicação, o português também teria exigido o não pronunciamento da moça sobre o caso.

O veículo alemão afirma saber a identidade da mulher e diz ter uma carta onde a vítima descreve o ocorrido, assim como lesões que teriam sido causadas pelo jogador.

No comunicado Cristiano chama as acusações de ficção jornalística nojenta e ultrajante, além de afirmar que “todo o enredo se baseia em documentos não assinados e em que as partes são identificadas por códigos, em emails entre advogados que não dizem respeito” a ele.

Em dezembro de 2009, a mesma revista coordenou uma investigação na qual jogadores famosos teriam utilizado diferentes empresas para transferir quantias milionárias e não pagar impostos, entre eles Cristiano.

 

Confira o comunicado completo:

O Jornal alemão Der Spiegel publica hoje uma extensa notícia sobre uma alegada acusação de violação que, segundo se refere, teria sido feita a Cristiano Ronaldo em 2009, ou seja, há cerca de 8 anos.

Trata-se de uma peça de ficção jornalística.

A suposta vítima recusa ser identificada e corroborar a estória. E todo o enredo se baseia em documentos não assinados e em que as partes são identificadas por códigos, em emails entre advogados que não dizem respeito a Cristiano Ronaldo e cuja autenticidade ele desconhece, e numa suposta carta que teria sido enviada pela putativa vítima, mas que ele nunca recebeu.

A reportagem do Der Spiegel é falsa e Cristiano Ronaldo agirá contra esse órgão de comunicação social por todos os meios ao seu alcance. A imputação de uma violação é uma acusação nojenta e ultrajante que não pode ficar em claro.

 



Estudante de jornalismo. Apaixonado por esportes e pela vida.