Felipe Melo revela ser admirado por torcedores rivais: “É uma cornetagem com carinho”

Felipe Melo
Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/ Divulgação

Atuando com a camisa do Palmeiras desde o início de 2017, Felipe Melo está se sentindo em casa na sua volta ao futebol brasileiro. Admirado e muito pelos torcedores do Verdão, que o apelidaram de “Pitbull”, o volante disse ser considerado também pela torcida dos rivais.

Autêntico e sem meias-palavras, Felipe Melo tem se caracterizado por sua sinceridade, principalmente em entrevistas após os jogos.

LEIA MAIS:

EM VÍDEO, VERDÃO EXALTA O ‘ESPÍRITO DE LIBERTADORES’ E DÁ ‘RECEITA’ PARA DISPUTAR A COMPETIÇÃO; ASSISTA

PAULO NOBRE QUASE SABOTOU GESTÃO DE GALIOTTE NO PALMEIRAS, ACUSAM CONSELHEIROS

ALLIANZ PARQUE DIVULGA FOTOS DO NOVO GRAMADO DO ESTÁDIO DO PALMEIRAS; CONFIRA

PALMEIRAS X PEÑAROL: SAIBA QUEM VAI APITAR O JOGO DO VERDÃO NA LIBERTADORES

“Não só o torcedor do Palmeiras, mas do Santos, do Corinthians e do São Paulo. Sou abordado para tirar fotos nas ruas. Cornetam quando tem de cornetar. É uma cornetagem com carinho, vamos dizer assim. Tipo: “Você está no Palmeiras, jogando bem, mas tinha de jogar no meu time”. Gente que não gosta de futebol me parabeniza pela minha sinceridade, que às vezes até ultrapassa os limites. Teria que ser mais politicamente correto. Estou muito contente pela forma como fui recebido pelo povo de São Paulo”, disse o camisa 30 do Verdão em entrevista coletiva, na tarde de ontem (11).

E não é apenas nas ruas da capital paulista que Felipe Melo recebe o assédio de admiradores. Dentro das quatros linhas, o volante do Palmeiras revelou que os jogadores rivais costumam o abordar para fazer pedidos.

“Já pediram bastante camisa. Eu troco, se pedir para assinar, eu assino e tudo (risos).”

Com Felipe Melo entre os titulares, o Palmeiras encara, na noite desta quarta-feira, 12, o Peñarol, do Uruguai, em jogo válido pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América.

Após criar polêmica em sua apresentação no clube, citando que, se fosse preciso, iria ‘dar tapa na cara de uruguaio’, o volante já se desculpou, mas garantiu que não vai ‘dar mole’ em campo.

“Pedi desculpas agora, se pedi é porque me arrependo. Não existe tapa na cara de ninguém. Vamos jogar com Peñarol e tem uma tradição imensa na Libertadores. Tem de respeitar, mas não pode dar mole.”



Estudante do 8º semestre de jornalismo e amante dos esportes, principalmente o bom e velho futebol. Setorista de Atlético-MG e Futebol Feminino.