Guerra diz que Palmeiras tem obrigação de vencer Libertadores

guerra - palmeiras
Foto: Reprodução/YouTube

O Palmeiras montou um elenco para este ano com a missão de repetir os feitos das temporadas passadas ao conquistar grandes títulos. Se em 2015, o Verdão conquistou a Copa do Brasil, 2016 foi ano do Campeonato Brasileiro, e agora, em 2017, muitos palmeirenses acreditam que seja o ano para a conquista da Libertadores.

Para facilitar neste objetivo, o Verdão trouxe jogadores com bom retrospecto na competição continental. Miguel Borja e Guerra são os atuais campeões da Libertadores quando atuavam pelo Atlético Nacional na temporada passada. Agora, pelo Palmeiras, o venezuelano avalia que pode conquistar novamente o título, e coloca uma possível eliminação palmeirense como um fracasso.

LEIA MAIS

EMERSON SHEIK RESPONDE EDMUNDO E REVELA SE ERA VASCAÍNO NA INFÂNCIA

DESTAQUE BRASILEIRO NO FUTEBOL ALEMÃO REVELA QUE TEVE VONTADE DE JOGAR NO PALMEIRAS

MICHEL BASTOS APARECE EM TREINO DO PALMEIRAS COM NOVO VISUAL; VEJA

Em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira, Alejandro Guerra falou sobre a montagem de elenco do Palmeiras e sobre a disputa da competição continental. O meia classificou como fracasso uma possível eliminação palmeirense, já que avaliou que a diretoria montou um time para ser campeão da Libertadores.

Penso que o Palmeiras armou uma equipe para ser campeã da Libertadores. Se não o fizermos, vai ser um fracasso. Temos jogadores com muita técnica, muita sabedoria, mas temos que mostrar em cada partida. Hoje em dia não se jogam com nomes, com contratações. Em campo são 11 contra 11″, disse.

O meia também citou o atual retrospecto do Palmeiras na temporada. Em 16 jogos, o time alviverde conquistou 11 vitórias, 2 empates e somente 3 derrotas. Porém, Guerra acredita que seja hora de ter um bom desempenho na competição continental.

Nossa equipe está sabendo respeitar os rivais, por isso o Palmeiras está indo muito bem nos torneios que está disputando. No Paulista, estamos mostrando que somos bons de visitante e de local. É hora de mostrar isso a nível internacional”, avaliou.