Mattos detona arbitragem e jogo do Peñarol: “Vão chorar em casa agora”

Palmeiras
Crédito da foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Alexandre Mattos, diretor de futebol do Palmeiras, fez duras criticas a arbitragem da partida contra o Peñarol nesta quarta-feira (12), no Allianz Parque. O dirigente reclamou da falta de critério do árbitro em vários lances e principalmente da expulsão de Dudu, nos minutos finais do jogo.

“Pegamos um time que não veio para jogar bola. Veio para cair, para catimbar. Eles já são armador. Eles não têm estratégia de jogo. A estratégia é dar um soquinho, mandar para aquele lugar para ver se irrita. Ganhamos, mas não tem como a gente não falar como a arbitragem é lamentável. Se a gente for pontuar lances, vamos falar do jogo todo, inclusive contra o Peñarol também. Lamentável. O Dudu foi expulso, o juiz fez aquela lambança, aquela confusão toda. Lamentável como ele irrita, como incomoda”, esbravejou Mattos.

O diretor do Palmeiras não poupou criticas a Conmebol pela escalação do árbitro para a partida e pela proibição de propagandas das patrocínadoras Crefisa e FAM no Allianz Parque.

“Já que a Conmebol proíbe tanta coisa, proíbe que coloque placa do Allianz Parque, proíbe propaganda no telão, proíbe que a gente use colete da Crefisa e da FAM, ela tem que dar o mínimo de condição para nós. Isso é lamentável, ficou nos devendo”, disse Mattos, que prometeu tomar atitudes contra a arbitragem.

“O processo, no Brasil, é muito bem feito. E temos de parabenizar. Quando acontece erro de arbitragem, conseguimos fazer a reclamação educadamente. Você manda o DVD, tem resposta… A Conmebol não informa nada. Por exemplo, teve a expulsão do Dudu e a gente não sabe o que vai acontecer. Reúnem quatro, cinco caras lá e decidem: ‘Vamos tirar ele de quatro jogos, vamos tirar de nenhum…’. A gente vai mandar? Vai. Vamos procurar amanhã a Federação Paulista, que com certeza vai mandar para a CBF, é muito organizado. O problema é lá. Lá é uma bagunça”.

Além das críticas a arbitragem e a Conmebol, Mattos não deixou escapar a cera e as provocações do Peñarol durante a partida. “”Eles não querem jogar bola. Eles estão aqui para xingar, para fazer grupinho, para atacar os jogadores. O treinador deles falou de propósito o número errado da substituição para atrasar ainda mais o jogo. Eu nunca vi isso”, disparou o diretor de futebol do Verdão.

“É por isso que eles tomaram o gol aos 54 e vão continuar tomando. Agora eles vão lá chorar em casa. Libertadores é isso. Precisa treinar para isso, não para ganhar jogo. Com algumas exceções, não podemos generalizar, porque no ano passado o Atlético Nacional jogou futebol, ganhou no campo”, completou.