Anderson Silva da cutucada em Belfort, apoia fim do TRT e mira luta contra amigo Machida

Em recuperação acelerada para voltar aos octógonos após fraturar a perna esquerda na revanche contra Chris Weidman no fim de 2013, Anderson Silva tem conquistado espaco na mídia com posts quase diários sobre seus treinos e, claro, suas declarações polêmicas.

Em entrevista recente para o programa Altas Horas, Spider, mesmo sem citar nominalmente nenhum lutador, deixou claro que não aprova o uso do TRT no esporte, como costuma fazer Vitor Belfort.

“Não acho justo os atletas fazerem isso. É complicado falar, pois alguns atletas precisam, mas, de repente você não faz, eu faço e estarei bem mais forte no dia da luta. Não é legal para um esporte que já tem a imagem bem complicada, com repercussão de doping do Chael (Sonnen) e do Vitor (Belfort) no passado, mas na minha opinião isso não é legal para o esporte.”

Anderson Silva tentou aliviar um pouco para o lado de Belfort afirmando que “a substância deveria ter sido proibida faz tempo e o Vitor foi prejudicado, pois disseram que estava liberado e depois não estava mais.”

Questionado se teria algum problema em encarar outro brasileiro no octógono, no caso seu amigo Lyoto Machida, adversário de Weidman no UFC 173, Anderson Silva foi claro:

“Até de repente eu poder voltar a disputar o título, muitas coisas vão acontecer. É o único cinturão que não ficou com ninguém, ninguém ficou mais tempo que eu com esse cinturão e acredito que agora não vai ser diferente. Não tenho pretensão de lutar com nenhum amigo meu, principalmente o Lyoto, mas se no futuro eu me credenciar a lutar pelo cinturão e a gente tiver que se enfrentar, a gente vai se enfrentar”.



Redação do Torcedores.com