Entrevista – Ary Graça: ‘Fui traído… Querem tomar o poder’

Ary Graça Filho, presidente da Federação Internacional de Vôlei, quebrou o silêncio e, em entrevista exclusiva ao LANCE!Net, deu suas explicações para a recente crise que se instalou no esporte no país.

Em quase duas horas de entrevista, o dirigente dá sua versão, admite contradições e sugere um complô para assumir o controle da entidade.

Da noite para o dia, sai o festejado Ary, que chegou a um posto internacional da maior importância, deixou o vôlei no Brasil como uma modalidade gloriosa, e entra alguém que está no meio de acusações sobre irregularidades, favorecimento a amigos. Como explica?
Me pegou de surpresa. Não imaginava que após a minha saída fosse acontecer isso. Houve uma briga pelo poder. A verdade é essa. Não só interna, mas com inspiração externa. Como diz o velho ditado: “o gato sai, os ratos fazem a festa”, de uma maneira que eu nunca imaginei. Deixei estrutura bem montada, pensei que tudo iria correr tranquilamente. Não foi o que aconteceu. Houve essa briga interna e uma aproveitamento deste pessoal para tomar o poder.

Você fala em disputa pelo poder. O nome do Bernardinho foi citado, em uma reportagem do Erich Beting, no site Máquina do Esporte, como um dos responsáveis pelo dossiê. É uma surpresa para você?
Uma corrente diz que temos antipatia mútua, mas não é verdade. Eu a vida inteira gostei e continuo gostando dele. Se da parte dele o sentimento não é o mesmo, eu não sei. Mantivemos um relacionamento profissional, cumprindo o combinado, tudo certinho. O nome dele ter surgido, para mim, é uma surpresa. Gostaria de ter confirmação disso.

Veja a entrevista completa no Lancenet



Redação do Torcedores.com