Pep Guardiola diz em livro detestar o estilo tiki-taka

Pep Guadiola

Pep Guardiola, atual treinador do Bayern de Munique, está entre os melhores técnicos da atualidade, pelo fato de ser capaz de montar equipes que jogam um futebol belo, intenso, ofensivo e, especialmente, de muito toque de bola.

LEIA MAIS:
Opinião: Além do ‘tiki-taka’, novo Bayern é mais vertical e também cruza mais

O gosto de Guardiola pela posse de bola e, consequentemente, pela incansável troca de passes, ficou claro no seu trabalho à frente do Barcelona. O clube catalão virou uma máquina de manter a bola por meio dos passes, por possuir, na época, jogadores de extrema capacidade técnica no momento de executar o passe, casos de Iniesta, Xavi e Messi, razão pela qual fazia sentido valorizar tal característica de seu elenco.

Com esse estilo de jogo o Barcelona ganhou três títulos de La Liga, duas Liga dos Campeões e duas Copas do Mundo de Clubes da Fifa. Ou seja, todos os títulos possíveis.

Tal estilo, consubstanciado na intensa troca de passes, ficou popularmente conhecido como tiki-taka, justamente pela bola passar de pé em pé sem que o adversário conseguisse roubá-la da equipe catalã.

Guardiola, contudo, reveleou no livro “Pep Confidential – The Inside Story of Pep Guariola’s Firts Season at Bayern Munich”, escrito por Marti Perarnau, que conta os bastidores da primeira temporada de Guardiola como técnico do Bayern de Munique, que o Barcelona armado por ele jamais jogou o popularmente conhecido tiki-taka, ressaltando, ainda, detestar tal estilo de jogo.

Segundo Guardiola, o tiki-taka representa a posse de bola sem um objetivo claro, ou seja, passar a bola simplesmente por passar, o que jamais ocorreu no seu Barcelona, que, na verdade, mantinha a posse de bola para, por meio da intensa troca de passes, sobrecarregar um lado do campo, a fim de deixar o outro lado fraco e, consequentemente, aproveitar tal enfraquecimento para tentar marcar o gol.

A revelação de Guardiola serve como resposta aos críticos do Barcelona ultracampeão comandado pelo técnico catalão, que achavam o estilo de jogo do Barça chato e sem objetividade, em virtude de o time passar a impressão de que mantinha posse de bola simplesmente por mantê-la.

A verdade é que Guardiola tem razão quando diz que seu Barcelona não praticava o tiki-taka, pois, apesar de os catalães, à época, serem absolutos na posse de bola e na troca de passes, a equipe possuía um ataque avassalador, tanto que transformou Lionel Messi num dos maiores goleadores do planeta. Ou seja, o Barcelona buscava o gol e, como bem descreveu Guardiola, usava a posse de bola para enfraquecer o adversário, com o objetivo de marcar os gols que garantissem as vitórias.

Foto: Getty Images



Suposto entendido, analista e comentarista. Porém, simplesmente apaixonado pelo esporte mais popular e fascinante do planeta: o futebol!