Relembre como você já jogou com seu clube do coração no videogame

Quem joga futebol no videogame hoje tem uma enorme facilidade para viver as emoções virtuais com a camisa de seu time do coração. Afinal, basta ter um console da penúltima geração, PS3 ou Xbox, e comprar as versões 2014 de FIFA e PES e escolher um dos times da liga brasileira. Mas nem sempre foi tão fácil assim.

LEIA MAIS
8 dramas que só quem jogou bola na rua já viveu

Nos anos 1990, o torcedor brasileiro que quisesse simular os jogos nacionais no videogame tinha que recorrer à pirataria, games paralelos que faziam modificações nas versões originais. Uma das mais famosas era o “Campeonato Brasileiro 96”, presente em cartuchos do Super Nintendo, alteração do International Superstar Soccer. Esse jogo era programado pela Konami, e não se sabe exatamente como surgiu a modificação brasileira.

Super NES - Paraná goleando o Real Madrid
Paraná enfiando 51 a 0 no Real pode? No Super NES, pode.

Os times do Brasileirão de 1996 substituíam as seleções nacionais do jogo original. Além deles, também estavam presentes alguns times internacionais, como Barcelona, Real Madrid, Boca Juniors e PSG. O jogador ainda podia escolher formações clássicas da seleção brasileira. A alteração era feita de forma precária, com muitos erros em nomes de jogadores.

No Palmeiras, por exemplo, é possível ver um “Djamina”, referente a Djalminha. Provavelmente isso acontecia por causa do limite de caracteres para colocar os nomes dos jogadores. Mas não deixa de ser curioso, principalmente se lembrarmos que hoje, quase 20 anos depois, há memes e brincadeiras parecidos na internet, como o “Romarino”.

Super NES - Time do Palmeiras em 1996

O concorrente do game da Konami na época já era a franquia FIFA, da EA Sports, que possuía alguns times brasileiros licenciados, sem que fosse necessário recorrer a jogos modificados. O problema é que os nomes dos jogadores não seguia um padrão brasileiro. Assim, o goleiro Ronaldo, do Corinthians, era identificado por um de seus sobrenomes, justamente o menos conhecido. “R.Soares” era o nome de Ronaldo Soares Giovaneli no game.

Super NES - Fifa 96 - Corinthians

A imagem abaixo mostra um clássico entre Corinthians e São Paulo no FIFA 96. Mais uma prova da bizarrice dos brasileiros no game é o Timão com calção roxo. Curiosamente, 12 anos depois o time alvinegro teria um uniforme roxo, mas com os calções pretos. Outra “previsão” do game era colocar o Tricolor inteiro de vermelho em campo, como aconteceu em uma rara oportunidade na inauguração das cadeiras totalmente vermelhas do Morumbi, há quase dois anos.

Super NES - Corinthians x São Paulo

Com o passar do tempo, vieram as novas tecnologias dos games. O PlayStation 1 revolucionou toda a forma de jogar de uma geração inteira. Os games da Konami passaram a se chamar Winning Eleven, mas continuavam com a receita tradicional de possuir apenas seleções nacionais. É claro que a pirataria não perdeu tempo e também fez suas próprias versões com os times brasileiros. Ali já era possível até ver patrocinadores nas camisas modificadas.

PlayStation 1 - Flamengo x Botafogo - Winning Eleven

O Fifa continuava a ser a única opção original com times brasileiros. Em 2004 e 2005, o jogo trazia até o São Caetano, sensação do futebol nacional naquela época. O PlayStation 2 se consolidava e ficava cada vez mais popular no Brasil, à medida em que o preço ficava mais acessível.

PlayStation 2 - Fifa 2005 - São Caetano

A nova geração da Konami trazia pela primeira vez clubes licenciados, mas sempre os europeus. Surgiam aí com mais força os chamados “patches”, que poderiam ser adquiridos por meio de downloads ilegais dos games, ou apenas incorporado ao jogo original. Eles mudavam estádios, uniformes, personalizando tudo ao melhor estilo brasileiro.

PlayStation 2 - Bomba Patch - São Paulo FC

Enquanto isso, o Fifa mantinha uma liga brasileira, mas sem a totalidade das licenças. No PES, alguns clubes fechavam acordos pontuais, como o Internacional e o São Paulo.

PlayStation 3 - Internacional - PES 2008

Isso mudou em 2013, quando o PES passou a ter todos os times da Série A do Brasileirão. O cuidado com o mercado brasileiro, que estava em franca expansão, era tanto, que o jogo ganhou até narração de Silvio Luiz e comentários do jornalista Mauro Beting.

PlayStation 3 - PES 2013 - São Paulo x Santos

Na EA Sports, o Fifa devolveu voltando a ter narração em português após um hiato de alguns anos. O apresentador da TV Globo, Tiago Leifert, tinha a companhia do comentarista Caio Ribeiro no Fifa 13. A dupla continua como a oficial da franquia até hoje.

O Fifa 15, recém-lançado no mercado, perdeu a licença dos clubes brasileiros. Já o PES 2015, que chega em novembro, terá os 20 times da Série A, mais o Vasco, licenciados, mas com os nomes dos jogadores modificados por questões contratuais. Resta saber como o gamer fanático pelos times brasileiros fará para continuar sua saga nesta geração. Para concluir, uma imagem do PlayStation 4.

PlayStation 4 - Grêmio - Fifa 14



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.