Dívida do Palmeiras com Paulo Nobre cresce muito

Palmeiras
Divulgação

Desde que assumiu o Palmeiras, Paulo Nobre têm se empenhado bastante em resolver os problemas financeiros do clube. Mas a forma da estratégia adotada não tem agradado boa parte dos conselheiros.

Em quase dois anos, Nobre já repassou mais de R$ 150 milhões para os cofres alviverdes. E a dívida cresce mensalmente. Após alguns cálculos, o mandatário repassa R$ 7 mi por mês. A conta vai ficar cara no futuro.

O Palmeiras terá 10 anos para pagar. O Conselho Deliberativo já aprovou a forma como o dinheiro retornará para o presidente: nos próximos 100 meses, a receita do clube será dividida em dois. Em uma das partes, Nobre terá direito a 10%.

Alberto Strufaldi, presidente do COF palmeirense, entende que o repasse é necessário, mas existe incerteza no futuro. “É preocupante, mas necessário”, disse.

No final do mês, o Palmeiras passará por eleições presidenciais. Pela primeira vez, os sócios serão responsáveis por eleger o mandatário para o biênio de 2015/2016. Após algumas pesquisas feitas por situação e oposição, o atual presidente mantém vantagem sobre Vlademir Pescarmona.

Crédito da foto: Reprodução



Thiago Gomes é Administrador de Empresas. Trabalha com estratégias digitais e consultoria de e-commerce. É palmeirense e um apreciador do futebol, tanto nacional quanto internacional. Escreve para site esportivo desde 1996.