Analise: Galo esquece Copa do Brasil e vai com tudo pra cima de Furacão

Atlético-MG

O Atlético-MG teve um jogo duro na quarta-feira, no Maracanã, e terá outro, daqui há três dias, valendo vaga na final da Copa do Brasil, aonde o Galo precisa reverter um placar de 2 a 0. No meio disso tudo, um jogo contra o Atlético-PR, em plena Arena da Baixada, sempre um cenário complicado.

LEIA MAIS
Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Flamengo enfrenta a Chapecoense, mas olha para a Copa do Brasil

E quem disse que isso assusta Levir Culpi?

Ignorando toda a lógica e mais ambicioso do que nunca, o técnico do Atlético-MG promete ir com força quase total pra cima do rival paranaense neste domingo. O objetivo do treinador é manter o time no G-4 e assim garantir fôlego para a reta final do Brasileirão, caso o pior aconteça diante do Flamengo, no meio de semana.

Poupando apenas Diego Tardelli, que desde que voltou da seleção não conseguiu mais fazer os gols dele, o treinador promoverá a volta de Jô, outro que não vem conseguindo fazer gols. O jejum do camisa 7 do Galo perdura desde a Libertadores e, somado a isto, há os casos de indisciplina do jogador, que andou faltando à treinos ao longo dos últimos meses.

A despeito desses detalhes técnicos, o principal problema para o time alvinegro no jogo de hoje é o estádio do adversário. Um dos lugares mais difíceis de se jogar no Brasil, a Arena da Baixada proporcionou até hoje pouquíssimos momentos de alegria ao torcedor do Galão da Massa.

Em 12 confrontos entre Atlético-MG e Atlético-PR na Arena, o Galo conseguiu vencer apenas três vezes. Em contrapartida, perdeu seis vezes e empatou outras três. Ao analisar o histórico recente dos rubro-negros em seu estádio, é difícil crer que hoje, apesar de tudo, quem vai sorrir serão os mineiros.

Mas sonhar não custa nada. Mesmo porquê, acreditar é mesmo com o Galo!

Ficha técnica – Atlético-PR x Atlético-MG

Campeonato Brasileiro – 32ª rodada

Arena da Baixada, em Curitiba – 19h30

Atlético-PR: Wéverton; Mário Sérgio, Gustavo, Willian Rocha e Natanael; Deivid, Paulinho Dias e Bady; Marcelo, Cléo e Dellatorre. 
Técnico: 
Claudinei Oliveira

Atlético-MG: Giovanni; Alex Silva, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Pierre, Josué e Luan; Maicosuel, Carlos e Jô.
Técnico: Levir Culpi



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...