Lewis Hamilton vence o GP dos EUA de F1; Massa é o 4º

Hamilton GP dos EUA

O inglês Lewis Hamilton voltou a bater o companheiro Nico Rosberg no GP dos EUA, neste domingo (2) e venceu sua quinta corrida consecutiva na temporada, a décima vitória no ano. Com o resultado, o piloto da Mercedes abriu 24 pontos de vantagem sobre o rival na briga pelo título, faltando duas corridas para o fim do campeonato. Rosberg chegou em segundo e completou a décima dobradinha da Mercedes no ano, a oitava com triunfo do inglês.

A corrida no circuito de Austin, no Texas, também ficou marcada por duas falhas da Williams na estratégia e paradas de boxes, que acabaram permitindo que o australiano Daniel Ricciardo ultrapassasse, em momentos distintos da prova, o finlandês Valtteri Bottas, e o brasileiro Felipe Massa. Com isso, o piloto da Red Bull acabou completando o pódio.

Felipe Massa, que havia conquistado uma posição na largada ao ultrapassar o companheiro, teve que se contentar com o quarto lugar, mesma colocação que havia registrado no treino classificatório de sábado (1). Bottas terminou em quinto lugar. Fernando Alonso, da Ferrari, terminou em sexto.

LEIA MAIS
O dia em que o GP dos EUA teve apenas seis pilotos no grid
Relembre as vitórias brasileiras no GP dos EUA de Fórmula 1

A corrida começou com uma batida logo na segunda volta, entre o mexicano Sérgio Perez, da Force India, e o alemão Adrian Sutil, da Sauber. O acidente tirou ambos da prova e provocou a entrada do safety car. Alguns pilotos aproveitaram para já fazer suas trocas de pneus neste momento de paralisação.

No reinício, Massa, que havia largado melhor e ultrapassado o companheiro Bottas, conseguiu resistir às investidas do finlandês e manteve a terceira posição. As Mercedes já disparavam na frente, com Rosberg mantendo a liderança. Ricciardo fez uma boa manobra e ultrapassou Alonso na briga pelo quinto lugar.

A partir daí, a corrida ficou um pouco mais morna, com momentos isolados de boas disputas, como a perseguição de Hamilton a Rosberg. Na 15ª volta, Massa, que era o terceiro, e Ricciardo, o quinto, foram juntos aos boxes. A parada da Williams foi boa e conseguiu devolver o brasileiro à frente do australiano.

No entanto, o companheiro Bottas não teve a mesma sorte. Forçado a ficar uma volta a mais na pista com os pneus desgastados, o finlandês foi mais lento e fez a parada na volta seguinte. Após a saída dos boxes, o piloto da Williams acabou sendo ultrapassado por Ricciardo. A briga entre finlandês e australiano pela quarta posição deu mais espaço a Massa na terceira colocação.

A briga da Mercedes não sofreu nenhuma alteração na parada da 17ª volta, com Hamilton não conseguindo ser suficientemente rápido para alcançar Rosberg. O primeiro trecho da corrida mostrava que a Force India não foi mesmo com sorte aos EUA, com o abandono de Nico Hulkenberg.

Logo na primeira metade, o GP dos EUA já tinha apenas 15 carros competindo. As ausências de Marussia e Caterham, se não eram sentidas do ponto de vista esportivo, eram facilmente notados no visual da prova.

Outro momento interessante da corrida aconteceu na 22ª volta, com a briga entre Button e Alonso pela oitava colocação. O espanhol da Ferrari havia perdido posições após as trocas de pneus. Nesse momento, também se intensificou a disputa pela liderança entre Rosberg e Hamilton, que conseguiu reduzir a vantagem e encostou completamente no líder.

Demorou apenas uma volta para que Hamilton aproveitasse a curva 1 do circuito de Austin para ultrapassar Rosberg com uma bela manobra. Com um desempenho claramente melhor, o inglês já abriu mais de um segundo de vantagem logo na volta seguinte.

Na 33ª volta, a Williams inverteu a estratégia de boxes e se deu mal de novo. Bottas foi primeiro, na tentativa de se aproximar de Ricciardo. Com isso, foi Massa quem precisou ficar mais tempo na pista com os compostos desgastados. Ainda por cima, a equipe demorou 3.7 segundos na parada do brasileiro, 1.1 a mais que o pit stop de Bottas. Resultado: Ricciardo ultrapassou Massa e ficou com a terceira posição, deixando as duas Williams para trás, e ainda fez a melhor volta da prova.

Massa reagiu e passou a conseguir diminuir a diferença para o piloto da Red Bull. Bottas ficava mais distante do brasileiro, sem ameaçar sua posição nem provocar uma briga na pista entre os companheiros de equipe. Ricciardo passou a colocar mais ritmo com seu carro e voltou a aumentar a distância algumas voltas depois.

Sebastian Vettel, que largou dos boxes e fez uma corrida discreta de recuperação, teve um bom momento a 12 voltas do fim quando conseguiu fazer uma boa manobra para ultrapassar Alonso. O piloto da Ferrari amargava o sétimo lugar, chegando a escapar da pista logo após perder a posição para o alemão da Red Bull.

Mas Alonso mostrou sua força de bicampeão do mundo, e um dos mais respeitados pilotos da categoria, e usou a força de sua Ferrari para recuperar a sexta colocação algumas voltas depois, sem chance de reação para o tetracampeão Vettel, que ainda teve que fazer uma troca de pneus nas voltas finais e perdeu todas as posições que havia conquistado com a recuperação anterior. Apesar disso, o alemão voltou a mostrar habilidade e ainda concluiu a prova em sétimo lugar.

O circo da Fórmula 1 volta às pistas no próximo fim de semana, no circuito de Interlagos, com o GP do Brasil. Como a vantagem de Hamilton é de 24 pontos, a vitória vale 25, e a última corrida do ano terá pontuação dobrada, conferindo 50 pontos ao vencedor, não é possível que o campeão seja decidido em território brasileiro. A decisão vai ficar mesmo para o GP dos Emirados Árabes, no dia 23.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.