Opinião: Cruzeiro mostra que é mesmo impiedoso contra piores do campeonato

Cruzeiro

Bastaram 15 minutos para fazer dois gols e definir o placar. Somente mesmo o preparo de um macarrão instantâneo é mais rápido do que foi o jogo entre Cruzeiro x Botafogo neste domingo.

LEIA MAIS
Cruzeiro x Botafogo: Veja os golaços da partida

Apesar da sopa pro azar que quis dar ao tirar demais o pé do acelerador depois do início avassalador, o Cruzeiro mostrou que, em definitivo, não vacila contra os piores times do campeonato. E mais: o que faz com que o time esteja com tanta folga na frente é, além do bom futebol, o ótimo aproveitamento contra os últimos colocados.

A vitória contra o Botafogo foi a 11ª da equipe contra times que vivem esta triste situação. É um número expressivo, afinal, ao comparar com o desempenho de seus principais concorrentes pela ponta ao longo da disputa, São Paulo e Inter, a toada observada não é, nem de perto, a mesma.

O São Paulo conseguiu sete de suas 17 vitórias diante dos mais mal colocados do campeonato, enquanto o Inter acumulou oito vitórias nesta mesma situação, das 16 que teve até agora.

Além da exatidão da matemática, está o modo objetivo do Cruzeiro jogar: o time simplesmente aproveita a oportunidade de resolver logo o jogo contra adversários que podem oferecer pouco perigo. No resto do tempo ,administra o que construiu, baseado principalmente no calendário de partidas, sempre extenuante.

Hoje, inclusive, os 15 minutos de futebol venenoso da Raposa não foram somente para demonstrar o poder de fogo do time azul, mas, principalmente, para poupar forças visando o duelo decisivo contra o Santos, daqui três dias.

Esse tipo de pensamento soa bizarro, ao analisar o porquê de onze homens juntarem-se e se enfrentarem dentro de um retângulo gigante demarcado por linhas. Mas não é menos pior do que perceber quão pouco deve-se fazer para conseguir grandes feitos no Brasileirão, o principal campeonato do país.

O Cruzeiro, mais que um grande time, é esperto: para quê dar o máximo de si em campo, se não se dá o máximo fora dele? Enfim, os engravatados de nosso futebol não merecem o Cruzeiro que tem.

E o Cruzeiro não merece jogar em um campeonato tão fraco como esse.

Foto: Getty Images



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...