Opinião: O Palmeiras tem que renovar com Henrique, mas pra ser reserva

Palmeiras
Divulgação/Palmeiras

O atacante Henrique, camisa 19 do Palmeiras, é o artilheiro isolado do Campeonato Brasileiro com 15 gols e é peça fundamental do time na luta contra o rebaixamento. Com números tão favoráveis, já se iniciou uma grande pedida por parte da imprensa e da torcida Alviverde para que a diretoria renove o contrato do jogador, que vai até dezembro deste ano.

LEIA MAIS:
Confira dez jogadores que não deveriam ter saído do Palmeiras

O “Ceifador”, como ficou conhecido por causa de suas comemorações, chegou ao clube de Parque Antártica em maio deste ano para suprir a ausência do então xodó da torcida, Alan Kardec, que havia se transferido para o rival São Paulo. E mesmo com essa difícil missão, Henrique estreou fazendo gol e conseguiu o incrível feito de anotar cinco gols em cinco jogos.

Agora, mais acostumado com o clube e com a torcida e mesmo perdendo alguns lances incríveis, o atacante se tornou o novo “homem-gol” e novo xodó dos palmeirenses, motivo mais que suficiente para que o clube invista pesado para manter o jogador no elenco para a próxima temporada.

Henrique pertence ao Mirassol e o clube do interior pede algo em torno de R$ 2 milhões para ceder o atacante ao Palmeiras, um valor que com certeza cabe no orçamento do clube. O fato é: Paulo Nobre precisa iniciar o processo de renovação com o jogador o quanto antes, por que se for esperar o fim da temporada, a história do Kardec irá se repetir.

Defendo a renovação do atacante, mas para a próxima temporada, seja lá quem vencer as eleições presidenciais, o Palmeiras precisará montar um time forte e um elenco qualificado para tentar corrigir os erros do ano do Centenário. Por isso, se renovar com o camisa 19, ele deverá ser reserva de algum atacante mais habilidoso, digno de vestir a camisa 9 do clube.

Hoje, mesmo com a artilharia, Henrique ainda não é o “centroavante” ideal pra a grandeza do clube mas seria um reserva de luxo.

Foto: Divulgação/Palmeiras