Qual o maior papelão: levar 7×1 do Bayern ou ser incapaz de vencer o CSKA?

Há duas semanas, a Roma recebeu o Bayern de Munique em um Estádio Olímpico tomado por mais de 70 mil torcedores. A superioridade dos alemães os faziam nítidos favoritos naquela noite.

LEIA MAIS
Convocado, Luiz Adriano faz 3 e bate recorde de Ronaldinho; assista aos gols
Barcelona avança na Liga dos Campeões e Messi iguala Raúl; assista aos gols

Real Madrid x Liverpool; assista ao gol de Benzema

No entanto, não há desculpas para um time tradicional, atualmente a segunda força no futebol italiano, apesar da decadência do futebol na bota, ser humilhada do jeito que foi. Vexame, papelão.

Para hoje, o treinador Rudi Garcia poupou vários titulares para enfrentar os bávaros em Munique, imaginando o óbvio. O resultado de 2×0 fazia parte dos prognósticos e, no final das contas, não pesou tanto para os romanistas.

Isso porque o Manchester City conseguiu a proeza de perder, em casa, para o CSKA Moscou. Aliás, que dificuldade têm os Citizens em fazer uma campanha consistente além da terra da Rainha… O atual campeão inglês amarga a lanterna do grupo E com dois pontos, dois a menos que Roma e CSKA, enquanto o Bayern lidera com 12 e já garantiu classificação às oitavas de final.

A Roma foi pisoteada 14 dias atrás, mas segue à frente, e na última rodada receberá o City podendo até perder o jogo, caso no dia 25 os Giallorossi vençam o CSKA, na Russía, e os ingleses não triunfem contra o Bayern, em Manchester.

Desde que voltou a disputar o principal torneio do continente europeu, o Manchester City caiu na fase de grupos nas temporadas 2011-2012 e 2012-2013, e não passou das oitavas de final da última edição, quando caiu diante do Barcelona.

E quem soma apenas um ponto dos seis disputados contra o pior time do grupo, embora a pontuação não indique isso no momento, não sinaliza para algo tão diferente da história “europeia” recente.

Afinal, qual o maior papelão: levar de 7×1 do Bayern, ou ser incapaz de vencer o CSKA?



Estudante de jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie e alucinado por futebol.