Três motivos para o Atlético-MG crer que irá eliminar o Flamengo

Levir

Parece que o Atlético-MG gosta de sofrer. Só isso explica esse monte de 2 a 0 em jogos de ida de mata-matas, que o time precisa reverter no segundo jogo, em casa. É tão latente esse “masoquismo”, que a torcida até criou um cântico específico para produzir boas energias.

O famoso “Eu Acredito!” surgiu nas semifinais da Libertadores de 2013, quando a equipe precisava de um 2 a 0 para, no mínimo, levar para os pênaltis a decisão da vaga na final contra o Newell’s Old Boys, da Argentina.

Quando o grito começou a ser entoado, o placar marcava 1 a 0 para o Galo e, não fosse esse “genki dama” aí, somado a uma misteriosa queda de energia no Horto, não sei se o desfecho seria aquele que vimos no Mineirão, semanas depois.

É em homenagem a esses momentos histórico e, principalmente, à grande carga de emoção que o Galo tem colocado em seus jogos, que decidimos listar três motivos para o torcedor atleticano acreditar para valer hoje!

Motivo 1 – Pênalti defendido por Victor contra Tijuana

Certamente um dos momentos mais épicos da história recente do futebol sul-americano, quiçá mundial. Após sofrer para arrancar um empate em 2 a 2, no jogo de ida das quartas-de-final da Libertadores do ano passado, contra os mexicanos do Tijuana, o Atlético-MG levava o 1 a 1 da volta em banho-maria, uma vez que a classificação parecia assegurada pelo fato de o time ter feito dois gols fora de casa.

Eis que no apagar das luzes (metaforicamente falando), Leonardo Silva se atrapalhou todo ao tentar cortar um lançamento e cometeu pênalti no jogador adversário. Era o último minuto de jogo e, caso fosse gol, o Atlético-MG estaria fora. O que aconteceu? Um dos motivos para se crer incondicionalmente. Confira nos melhores momentos daquele dia e flagre a importância do lance no vídeo:

Motivo 2 – Escorregão de jogador do Olímpia

Esse foi para sacramentar que, em 2013, nada e nem ninguém ia tirar aquela Libertadores do Atlético-MG.

O jogo estava ainda em 1 a 0 e o time precisava de só mais unzinho para levar a finalíssima para a prorrogação. Já nos minutos finais, com o Galo todo no ataque, o adversário encontrou uma brecha e lançou a bola para um contra-ataque. Estava lá, sozinho, um jogador do Olimpia, que saiu na cara do gol praticamente.

Victor deixou sua meta para tentar evitar o pior, mas foi driblado com facilidade. Com o gol vazio e ninguém para marcar, sabe o que o jogador fez? O segundo motivo que coloca o Atlético-MG como o time mais sortudo da década. Se liga nos melhores momentos do jogo para entender a importância do lance:

Motivo 3 – Pinball na defesa corintiana

Esse é o mais recente de todos e é o que mantém o Galão da Massa crendo mais que evangélico fervoroso nas palavras do Senhor.

Mais uma vez, o time precisava de no mínimo 2 a 0 para passar de fase. Mas, no comecinho do jogo, sofreu um gol do Corinthians e então, este 2 a 0 virou, no mínimo, um 4 a 1, por causa do gol fora.

Contrariando as expectativas, o time foi construindo o resultado. E do segundo gol em diante, contou com a sorte de a bola desviar em alguém do Corinthians antes de virar o terceiro motivo da nossa lista. O que houve está bem fresco na memória de todos. Mas se você quer recordar, veja os melhores momentos do jogo e aqueça a garanta. Hoje promete!



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...