Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

A importante decisão que Steven Gerrard terá pela frente

Reprodução/Facebook[/caption]

Antonio Andrade
Suposto entendido, analista e comentarista. Porém, simplesmente apaixonado pelo esporte mais popular e fascinante do planeta: o futebol!

Crédito: Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Steven Gerrard, jogador de extraordinário talento e lenda do Liverpool, tem uma importante decisão para tomar ao final da atual temporada: renovar ou não seu atual vínculo com os Reds.

LEIA MAIS

Veja a suposta reação dos atletas do City ao saber que irão pegar o Barcelona

O contrato de Gerrard, assinado em 2010, encerra-se no fim da temporada 2014/2015 e há muita especulação sobre a permanência do capitão no clube pelo qual torce e que o revelou.

O Liverpool não tem qualquer dúvida quanto à manutenção de sua grande estrela no elenco, tendo, inclusive, apresentado uma proposta de renovação contratual, que, além da extensão do vínculo como jogador, prevê um cargo para Gerrard na comissão técnica dos Reds assim que ele encerrar a carreira. A dúvida, no entanto, é se Gerrard quer permanecer como jogador do Liverpool.

Aos 34 anos de idade e chegando cada vez mais perto do fim de sua carreira, parece que Steven Gerrard começou a questionar o custo-benefício de estender sua ligação com o Liverpool, tanto que, ao receber a proposta dos Reds, informou que sua decisão será tomada apenas ao final da temporada.

Isso porque, desde 2005, quando renovou seu contrato após comprar o projeto de reestruturação dos Reds comandado por Rafa Benítez, Gerrard vem escutando a promessa de que o clube se reorganizará para, enfim, levantar a primeira taça de campeão inglês na era da Premier League, o que representaria o primeiro título desde a temporada 1989/1990. O projeto comandado por Benítez, como se sabe, não deu certo e, em 2010, mesmo possuindo diversas propostas para deixar o Liverpool, Gerrard aceitou prolongar seu vínculo com os Reds, para participar do novo plano de reestruturação da equipe, que seria capitaneado por Roy Hogdson.

Pois bem, o projeto com Hogdson, atual técnico da Seleção da Inglaterra, não teve êxito e, depois dele, veio Kenny Dalglish, que não conseguiu grandes resultados e acabou substituído por Brendan Rodgers, atual treinador do Liverpool.

Ou seja, Gerrard vem comprando a ideia de reestruturação do Liverpool para brigar pelo título da Premier League e da Champions League desde 2005 e, com exceção do inesperado título da Liga dos Campeões na temporada 2004/2005, mais fruto do acaso do que da organização do clube, as promessas da direção dos Reds jamais se concretizaram, o que, certamente, desgastou o jogador.

Para piorar, o Liverpool da atual temporada não lembra em nada o time vice-campeão da temporada 2013/2014, que jogava um futebol ofensivo, leve e envolvente, tanto que ocupa apenas o décimo primeiro lugar na Premier League, estando, portanto, longe da briga pelo título, além de já ter sido eliminado na fase de grupos da Liga dos Campeões da UEFA.

Ainda, soma-se ao mau momento dos Reds o fato de Brendan Rodgers declarar que o processo de reestruturação do Liverpool levará pelo menos duas temporadas, para que se tenha um Steven Gerrard relutante em aceitar, aos 34 anos, o terceiro projeto de reconstrução dos Reds.

Racionalmente, faz sentido Gerrard decidir pela não renovação de seu atual contrato e optar por jogar na Major League Soccer, por exemplo. Porém, o amor que ele sente pelo Liverpool, seu time do coração, poderá pesar no momento de sentar para definir seu futuro como jogador profissional com a direção dos Reds, tal qual em 2005 e, especialmente, em 2010.

Independentemente da decisão a ser tomada, considerando o legado construído, bem como a imensa importância de Gerrard para o Liverpool atual (lembrando que em 2013/2014 Gerrard marcou 13 gols e distribuiu 13 assistências), a lenda dos Reds deveria estender sua ligação com o clube que tanto ama e por lá encerrar sua brilhante carreira.