Em 1981, Mário Sérgio dava show em goleada do Tricolor sobre o Palmeiras

Em mais de 300 clássicos envolvendo São Paulo e Palmeiras, muitos gols e goleadas foram aplicadas durante a história. E isso é o que se espera do confronto desta quarta-feira (25), quando os dois clubes se enfrentam pela primeira vez no reformado e modernizado Allianz Parque.

Redação Torcedores
Redação do Torcedores.com

LEIA MAIS:
Sem Ganso e Luís Fabiano, Muricy Ramalho divulga relacionados para o jogo contra o Marília
São Paulo faz promoção de ingressos para jogo contra o Marília
Os números do São Paulo na Libertadores. Denílson lidera nos passes

O lado Tricolor detém a maior goleada nas disputas, com 6 a 0 em jogo realizado no extinto estádio da Rua da Mooca, pelo Campeonato Paulista de 1939. Já o maior triunfo do Verdão aconteceu em 1965, quando a Academia de Futebol palestrina atropelou o rival por 5 a 0 no estádio do Pacaembu.

A terceira maior goleada surgiu 16 anos depois, com uma exibição de gala Mário Sérgio. Marcado por ter um regulamento bastante confuso, o Campeonato Paulista de 1981 teve em seu primeiro turno amplo domínio das equipes do interior, com final campineira vencida pela Ponte Preta. No segundo, o São Paulo foi o vencedor, derrotando na final o São José.

Mas o grande jogo do clube do Morumbi não foi a final (vencida em cima da Ponte Preta), mas sim o confronto frente ao rival Palmeiras, válido pelo segundo turno da competição. No dia 4 de outubro, mais de 30 mil pessoas viram o show do “Vesgo”, como Mário Sérgio era conhecido, por costumeiramente olhar para um lado e tomar a bola para o outro.

Everton abriu o placar para o São Paulo aos 26 minutos, mas o Palmeiras empatou logo aos 39, com gol contra de Airton. No segundo tempo, a genialidade do camisa 11 começou a aparecer. Aos 13, Serginho Chulapa agitou para Mário, que dominou e bateu no canto de Gilmar. Os 11 minutos a seguir foram de temor para a defesa formada pelo experiente Luís Pereira e Deda.

Mário Sérgio dominou o meio-campo são-paulino e iniciou as principais jogadas de gol, com Renato (15’), Serginho Chulapa (20’) e Paulo César (22’). A cereja do bolo veio aos 24. Após cobrança de escanteio de Getúlio, Oscar subiu mais alto que a defesa e tentou o cabeceio. A bola sobrou para Mário Sérgio, que completou a jogada com um mágico toque de calcanhar, tirando do goleiro palmeirense.

“Foi um jogo que achávamos que seria muito difícil e se tornou muito fácil em função de um time que jogava de uma forma quase perfeita. Por ser um grande rival, a partida repercutiu por muito tempo e esse jogo nos encaminhou para o título”, afirmou o craque ao livro Palmeiras x São Paulo: As Histórias do Choque-Rei.

Pela primeira vez no novo Allianz Parque, Palmeiras e São Paulo se enfrentam nesta quarta-feira (25), às 22h, pelo Campeonato Paulista. Quer conhecer mais sobre a história do Choque-Rei para debater com seus amigos? Veja mais no livro Palmeiras x São Paulo: As Histórias do Choque-Rei, disponível para vendas no site http://goo.gl/IpB9Cb.

ASSISTA:

http://www.youtube.com/watch?v=_sbPibxqMrg

Data: 4/10/1981
Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Oscar Scolfaro (SP)
Público: 31.799 pagantes
Gols: Éverton, 26’/ 1°T (1-0); Airton – contra, 39’/ 1°T (1-1); Mário Sérgio, 13’/ 2°T (2-1); Renato, 15’/ 2°T (3-1); Serginho Chulapa, 20’/ 2°T (4-1); Paulo César, 22’/ 2°T (5-1); Mário Sérgio, 24’ / 2°T (6-1) e Enéas, 32’/ 2°T (6-2)
SÃO PAULO: Waldir Peres; Getúlio, Oscar, Gassem e Aírton; Almir, Renato e Éverton; Paulo César, Serginho (Tatu) e Mário Sérgio. Técnico: Formiga.
PALMEIRAS: Gilmar; Benazi (Jaime Boni), Luís Pereira, Deda e Pedrinho; Vítor Hugo, Célio e Aragonés (Esquerdinha); Reginaldo, Enéas e Marquinho. Técnico: Jorge Vieira.