Ícone do site Torcedores – Notícias Esportivas

Opinião: Três zagueiros do Inter funcionaram. Mas os alas, nem tanto

O tão falado, testado, amaldiçoado e, por fim, utilizado esquema com três zagueiros de Diego Aguirre, no Inter, passou relativamente bem no primeiro teste realmente de peso que teve. Porém, os alas da equipe tiraram um pouco do brilhantismo e foram os responsáveis pela equipe sofrer até os minutos finais no Equador, mesmo com um jogador a mais quase que o segundo tempo inteiro.

LEIA MAIS:
Inter passa sufoco, mas arranca empate do Emelec, no Equador; Assista aos gols
Presidente do Inter reclama do clima de jogo no Equador, mas comemora empate

Léo e Fabrício são, normalmente, melhores no apoio, do que na cobertura. Tudo bem, nenhuma novidade. Mas ontem eles estavam completamente perdidos. Fabrício levou um baile em todas as vezes que precisou anular o lateral do Emelec-EQU que subia pelo seu setor, principalmente no segundo tempo, quando a equipe azul veio para o famoso “abafa”, para tentar a vitória.

Léo, então, nem se fala. O gol dos equatorianos saiu, boa parte, por falha dele. Primeiro não se posicionou de forma correta no cruzamento que caiu justamente em seu setor, sem a cobertura devida. Depois, não saiu para deixar Mena em impedimento, quando Bolaños só ajeitou a bola para ele, de cabeça. Não fosse o camisa 2, o artilheiro do Emelec-EQU ficaria impedidaço, sem apelação.

No segundo tempo, no momento do tudo ou nada para os donos da casa, Léo sofreu do mesmo modo que Fabrício, cada um a sua maneira. Isso não poderia acontecer. O esquema com três zagueiros é vantajoso aos laterais porque os permite subir sempre ao ataque, sem variação, diferente do que ocorre com dois defensores. Porém, eles precisam, sim, cobrir as próprias costas, principalmente quando o time conta com apenas um volante de marcação, caso do Inter, em Manta.

Diego Aguirre precisa trabalhar essa questão com urgência, pois o próximo jogo é contra uma equipe mais técnica do que o Emelec-EQU, tão difícil quanto e que mostrou, pelo menos contra o The Strongest-BOL, na terça-feira (17), que seu ganha-pão é justamente pelos flancos. E não adianta: os jogos do Gaúchão não são um bom parâmetro. Definitivamente.

* Curtiu esta matéria? Siga o autor no Twitter: @thijacintho

Foto: Divulgação / SC Internacional

Leia mais:

Sair da versão mobile