São Paulo enfrenta péssimo retrospecto recente contra brasileiros na Libertadores

Getty Images

O São Paulo começa logo mais, às 22h (horário de Brasília), mais um capítulo de sua sina de enfrentar brasileiros no mata-mata da Libertadores. Desde a última vez que o Tricolor conquistou o torneio vencendo o Atlético-PR na final, em 2005, o time só venceu dois duelos desse tipo contra clubes do Brasil na competição continental.

E o Cruzeiro, adversário das oitavas de final nesta quarta-feira (6) no Morumbi, é um velho conhecido nessa trajetória. Além do Palmeiras, que o São Paulo eliminou nessa mesma fase em 2006, o time mineiro é o único que o Tricolor conseguiu eliminar desde então. Aconteceu em 2010, quando o São Paulo conseguiu avançar até as semifinais, onde acabaria vencido pelo Internacional.

O Cruzeiro havia sido justamente o carrasco do Tricolor nas quartas de final no ano anterior, 2009, quando o clube amargou a quarta queda seguida para brasileiros na Libertadores sob comando de Muricy Ramalho, o que motivou a demissão do treinador.

Em linhas gerais, o São Paulo só foi eliminado por brasileiros nos últimos tempos. A última vez que um clube estrangeiro parou o Tricolor na Libertadores aconteceu em 2004, quando o time treinado por Cuca ficou nas semifinais, eliminado pela zebra Once Caldas, da Colômbia, que acabaria campeão ao surpreender também o Boca Juniors na final.

Desde então, o Tricolor foi campeão sobre o Atlético-PR, em 2005, vice no ano seguinte, batido pelo Internacional. Eliminado em 2007 nas oitavas de final para o Grêmio. Caiu nas quartas em 2008, vencido pelo Fluminense. Perdeu para o Cruzeiro em 2009, caiu na semi em 2010 contra o Internacional, novamente, e voltou a ser eliminado em 2013, ao perder para o Atlético-MG nas duas partidas das oitavas de final.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.