Alex não esconde mágoa de Felipão sobre ausência em Copa de 2002

O meia Alex encerrou a carreira no futebol no fim do ano passado, pelo Coritiba. Mas, neste sábado (27), às 15h, o meia vai pendurar as chuteiras oficialmente, em um jogo pelo Cruzeiro. Um dos maiores jogadores do Coxa, da Raposa e do Palmeiras, Alex revelou que ainda não esqueceu a ausência na Copa do Mundo de 2002.

Matheus Adami
Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.

Crédito: ISTANBUL, TURKEY - MARCH 17: Alex de Souza of Fenerbahce SK in action during the Turkish Spor Toto Super Lig match between Fenerbahce SK and Galatasaray AS held on March 17, 2012 at the Sukru Saracoglu Stadium in Istanbul, Turkey. (Photo by Mustafa Ozer/EuroFootball/Getty Images)

LEIA MAIS:
Alex, comentarista da ESPN, chora no ar após homenagem feita pela esposa

Em entrevista ao jornal “Estado de Minas”, Alex falou de mágoa em relação ao treinador da seleção brasileira na época, Luiz Felipe Scolari. “Felipão não me levando em 2002 diminuiu minhas possibilidades em 2006. De 1998 a 2002, participei de mais de 75% dos jogos. Felipão sempre usava uma frase: ‘Me ajude hoje, que volto te ajudar amanhã’. Ajudei o Felipão em muitos hojes. E, no momento final, a frase dele não valeu para mim”, disse o meia.

“(Felipão) levou jogadores que até aquele momento tinham histórias bem menores do que a minha na Seleção. No corte do (volante) Emerson, além de eliminar o sonho do capitão da Seleção, ele levou o Ricardinho, que não tinha cinco jogos pela Seleção. O golpe foi de assimilação complicada. Em 2006, Parreira foi honesto demais comigo e minhas expectativas eram pequenas”, completou Alex.

O ex-camisa 10 do Cruzeiro afirmou que nunca foi procurado pelo clube entre 2004 e 2012, período em que atuou no Fenerbahçe, da Turquia, e se tornou ídolo. “A procura veio somente por meio do dr. Gilvan de Pinho Tavares e do Alexandre Mattos, quando rescindi com os turcos. Conversei com vários clubes. Um deles foi o Cruzeiro. A torcida foi às ruas, e aquilo mexeu comigo. Mas a conversa com o presidente não foi boa e fez com que eu desconsiderasse qualquer chance”, explicou Alex, que, na época, optou por retornar ao Coritiba.

Crédito da foto: Getty Images